Vereador do Recife Samuel Salazar (MDB), em entrevista à Rádio Folha
Vereador do Recife Samuel Salazar (MDB), em entrevista à Rádio FolhaFoto: Lidiane Mota / Folha de Pernambuco

Março Amarelo é o mês temático da endometriose, doença que acomete 1 a cada 10 mulheres e ocorre quando o endométrio, tecido que reveste o útero, cresce para fora do órgão. Como autor da Lei Nº 18.600/19, que institui o dia 30 de março como o Dia Municipal de informação e conscientização sobre a endometriose, o vereador do Recife Samuel Salazar (MDB), traz o assunto em live no Instagram, nesta segunda-feira (30), às 21h. Para o debate, foi convidada a advogada em direito médico e saúde e coordenadora da Endomarcha Recife, Milena Bassani.

 “Essa é uma campanha que abraçamos desde o início do nosso mandato, e por isso tínhamos ações pensadas para este mês. ⁣Diante do isolamento social, como solução para fomentar a causa e promover o tema, pensamos em conversar sobre a doença”, explica o parlamentar.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), calcula-se que, em todo o mundo, 176 milhões de mulheres sofram com a doença. No Brasil, são 6,5 milhões. “Quando os olhos não veem o que as mulheres sentem, precisamos discutir e buscar entender para pensar em Políticas Públicas efetivas. Mesmo não sendo protagonista da luta e do movimento, sensibilizamos-nos e ficamos parceiros da causa, e isso só fortalece a temática”, conta Salazar.

De acordo com a advogada em direito médico, Milena Bassani, a endometriose é uma doença ainda pouco conhecida em sua essência. “Basicamente consiste no surgimento de tecido semelhante ao endométrio, aquele que reveste a parede uterina e é responsável pela menstruação da mulher, em outros órgãos pélvicos, como bexiga, alças intestinais, ovários etc. Em casos raros até mesmo no pulmão, diafragma e cérebro”.

Ainda de acordo com ela, “esse tecido ocasiona a inflamação da região durante o ciclo, e por não haver escalpes, menstruação, causa dores insuportáveis. Ao "sarar" ele acaba por criar uma aderência entre os órgão que por sua vez perdem a motilidade, causando dores até fora do ciclo com o passar do tempo”, explica Milena.

Como estratégia de informações do Março Amarelo, estava previsto para o último sábado (28), a “Endomarcha Mundial da Endometriose” e Recife era uma das cidades que faria parte da ação. “Nossa marcha precisou ser adiada para evitar a disseminação do vírus causador do Covid-19. Jamais poderíamos ir às ruas propagar a conscientização de uma doença e espalhar outra. Mas em breve poderemos tomar às ruas novamente e levar informação correta para as mulheres”, esclarece a coordenadora da Endomarcha Recife, Milena Bassani.

“Você, mulher, mãe, irmã, prima, marido, pai, irmão, sim, os homens também, todos precisam ficar atentos aos sintomas da endometriose, e ajudar milhares de mulheres a receberem o diagnóstico precoce, pois, somente assim haverá chances de cura”, lembra Bassani.


assuntos

comece o dia bem informado: