João Campos (PSB), deputado federal mais votado em Pernambuco
João Campos (PSB), deputado federal mais votado em PernambucoFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Eleito com 460.387 votos em outubro passado, o deputado federal João Campos (PSB), filho do ex-governador Eduardo Campos, morto em 2014, deverá assumir o mandato na Câmara dos Deputados em fevereiro de 2019. Ele está cotado para assumir uma secretaria na segunda gestão do governador Paulo Câmara (PSB) à frente do Palácio do Campo das Princesas, visando ao fortalecimento da potencial candidatura à Prefeitura do Recife em 2020.

Desde a eleição, há, no PSB, duas correntes – uma defende que Campos deve permanecer no Estado para fortalecer a potencial candidatura e outra advoga que o eleito deveria fazer justiça à votação recebida. Socialistas, em reserva, afirmaram que o ex-chefe de gabinete de Câmara irá trabalhar em Brasília no próximo ano, sem prejuízo aos planos posteriores.

O argumento é que, na Câmara dos Deputados, Campos ganhará mais experiência e robustez na carreira política, apresentando propostas e defendendo pautas e ideias, o que poderá fortalecer a imagem dele perante ao eleitorado pernambucano. Caso ele assuma uma pasta empoderada, como ordenador de despesa, teria sempre fiscais à espreita, além de estar à mercê de pautas negativas, o que poderia lhe render prejuízos eleitorais.

Nas últimas semanas, o deputado federal eleito foi ventilado nos bastidores nas secretarias de Educação, de Cidades e de Turismo. A ideia dos socialistas é que Campos estivesse numa estrutura robusta e com saldo positivo, diante disso Educação e Turismo eram as favoritas. O ex-chefe de gabinete de Câmara chegou a se reunir nas últimas semanas com o atual titular de Educação, Fred Amâncio – que deverá se manter no cargo -, para um intensivo sobre a área. Pauta que poderá encampar no Congresso.

Cidades, que outrora possuía uma estrutura robusta, perdeu força quando o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) resolveu fundir o Ministério das Cidades ao de Integração Nacional para formar o de Desenvolvimento Regional. Na reforma administrativa estadual, estuda-se a fusão da pasta com outras para formar uma secretaria de Infraestrutura.

O governador deve enviar o projeto de reforma administrativa para a Assembleia Legislativa até amanhã e disse que na próxima semana anunciaria o nome dos novos secretários. Campos, todavia, afirmou que a decisão ainda não teria sido tomada. “As discussões começaram, mas ainda não foram concluídas. O processo está em discussão, mas, na rua, o povo me pede para eu assumir o mandato”, afirmou.

assuntos

comece o dia bem informado: