Abraham Weintraub, ministro da Educação
Abraham Weintraub, ministro da EducaçãoFoto: José Cruz/Agência Brasil

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, escreveu em suas redes sociais nesta quarta-feira (1°) que a volta às aulas no Brasil depende das posições de prefeitos e governadores. O posicionamento foi dado em resposta a uma seguidora, e o ministro ainda disse que espera que o retorno das atividades aconteça em abril. "Espero que ainda esse mês [aconteça a retomada das aulas]. Depende dos governadores e prefeitos", escreveu Weintraub.

Em pronunciamento em 24 de março, o presidente Jair Bolsonaro criticou a suspensão das aulas. Em reação, os secretários estaduais de Educação reafirmaram a manutenção da medida, descrita como um "ato de responsabilidade para proteger não apenas a vida dos nossos estudantes e servidores mas de todos aqueles que estão em seu entorno, especialmente os idosos e com doenças crônicas" em nota do Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação).

Leia também:
MEC prorroga prazo para pedido de autorização de cursos superiores
Horas após falar em pacto, Bolsonaro volta a criticar governadores e medidas de isolamento
Inep publica editais do Enem 2020

O próprio ministro Weintraub, geralmente alinhado a Bolsonaro, não tem defendido a retomada das aulas. Em vídeo publicado nas redes sociais no final de março, o ministro atacou a imprensa e disse que não determinou a volta das atividades.

"É mentira que estou chamando as crianças a voltar às aulas", disse ele, que também negou que haja decisão sobre suposto adiamento da prova do Enem deste ano, agendada para novembro. Weintraub já autorizou aulas a distância em instituições federais e particulares de ensino superior. Também criou um comitê para discutir com vários órgãos ações articuladas diante da pandemia.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: