Trazendo impressas nas suas roupas textos sobre as diversas violências que costumam acometer mais as mulheres negras, a instalação tem por objetivo chamar a atenção das usuárias do metrô sobre a condição da mulher negra no estado.
Trazendo impressas nas suas roupas textos sobre as diversas violências que costumam acometer mais as mulheres negras, a instalação tem por objetivo chamar a atenção das usuárias do metrô sobre a condição da mulher negra no estado.Foto: Divulgação

Quem passa, no período da tarde, pela Estação Central do Metrô Recife, não fica indiferente a um grupo de manequins negras, expostas no hall de entrada. Trazendo impressas nas suas roupas textos sobre as diversas violências que costumam acometer mais as mulheres negras, a instalação tem por objetivo chamar a atenção das usuárias do metrô sobre a condição da mulher negra no estado. A mostra conta ainda com a ação de integrantes da Rede de Mulheres Negras de Pernambuco, que esclarecem dúvidas e entregam material informativo.

Quem quiser conferir esta atividade de campanha tem até o próximo dia 6 de outubro para ir até a Estação Central. Em seguida, a instalação e a ação educativa vão para o Terminal Integrado Xambá (Olinda). Esta ação faz parte da campanha “Mulheres Negras pela Vida”, promovida pela Rede de Mulheres Negras, em parceria com ONG Fase/Pernambuco.

Lançamento oficial_ Embora as atividades já tenham ganhado as ruas, o lançamento oficial da campanha será hoje (3/10), às 19h, no Sindicato dos Bancários (Av. Manoel Barros 564- Boa Vista), quando será apresentado um plano de açã seguido de uma mesa de debates. Os temas a serem abordados são: Políticas de Segurança Públicas e Impactos na Vida das Mulheres Negras, com a advogada Ciane Neves e a segunda “Violência obstétrica e mortalidade materna de mulheres negras”, com psicóloga Talita Rodrigues

Violência contra a mulher negra

No ano de 2017, no estado de Pernambuco, cerca de 72% das mortes por mortalidade materna foram de mulheres negras (pretas e pardas). A faixa etária mais atingida pelas mortes maternas está entre 20 e 39 anos, com cerca de 74% desses óbitos. Na cidade do Recife, 95% das mulheres que morreram de morte materna em 2018 eram negras. (Dados do Comitê de Mortalidade Materna).

Cerca de 80% das mulheres que estão em situação prisional em Pernambuco são negras. O Brasil é o 5º país do mundo que mais encarcera mulheres. Cerca de 20% dessas mulheres são analfabetas (Dados do INFOPEN).

Pernambuco é o terceiro estado com maior índice de aumento de casos de homicídios de jovens no ano de 2017, com um aumento de 26,2% em relação a 2016. Em torno de 70% desses jovens assassinados, são jovens negros. São os filhos, maridos, irmãos, familiares e amigos das mulheres negras (Dados do Atlas da Violência 2019).

negras

assuntos

comece o dia bem informado: