Ministro da Educação, Abraham Weintraub
Ministro da Educação, Abraham WeintraubFoto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Um grupo suprapartidário de parlamentares apresentará denúncia contra o ministro da Educação, Abraham Weintraub, no Supremo Tribunal Federal por crime de responsabilidade. O pedido de impeachment será protocolado na tarde desta quarta-feira (5), após coletiva no Salão Verde da Congresso Nacional.

O texto se apoia em trechos do relatório produzido pela Comissão Externa de Acompanhamento do MEC, presidida pela deputada federal Tabata Amaral e sob relatoria do deputado federal Felipe Rigoni, com vice-coordenação do deputado João Campos (PSB-PE).

"Nós que fizemos a comissão externa, identificamos problemas severos no Enem. O Enem já foi feito, os erros foram cometidos e até hoje as questões retiradas não foram apresentadas. Vamos dar um passo em defesa da educação, essa deve ser a bandeira prioritária", disse João Campos, que criticou a realização do SISU e do Enem.

"A gente está vendo uma série de quebras de decoro - xingamentos pelas redes sociais, parlamentares que são desrespeitados, negligência e incapacidade. Hoje a gente decidiu que basta. A gente se uniu mesmo tendo visões diferentes", afirmou a deputada Tábata Amaral (sem partido).

Diferenças que uniram na mesma coletiva de imprensa parlamentares de convicções ideológicas diversas, como destacou o deputado Alexandre Frota (PSDB). "As diferenças podem lutar nessa ação com um único objetivo. Vamos levar ao STF porque esse ministro é uma pessoa desclassificada, agressiva . Não podemos deixar que esse senhor continue", frisou. 



assuntos

comece o dia bem informado: