Fernando Haddad (PT), em coletiva de imprensa em São Paulo, nesta quinta (25)
Fernando Haddad (PT), em coletiva de imprensa em São Paulo, nesta quinta (25)Foto: Reprodução/Facebook

O ministro Jorge Mussi, corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), decidiu dar seguimento a uma ação da campanha de Jair Bolsonaro (PSL) contra Fernando Haddad (PT). A informação foi publicada pelo site Uol. Assim, a campanha de Bolsonaro pede que Haddad e sua vice, Manuela D'Ávila (PCdoB), sejam declarados inelegíveis por oito anos. A ação terá de ser julgada pelo TSE, mas ainda não há data prevista.

O deputado acusa Haddad de campanha irregular por abuso de poder político praticado pelo governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB). A campanha de Bolsonaro afirma que Coutinho utilizou jornal vinculado a órgão da administração do estado para publicar reportagens favoráveis a Haddad, além de ter utilizado na campanha a estrutura da Universidade Estadual da Paraíba e de ter coagido servidores públicos a votar no candidato do PT

Leia também:
TSE abre investigação para apurar suposta campanha a Haddad em jornal e na Universidade da Paraíba 
Campanha de Bolsonaro quer acompanhar apuração na sala-cofre do TSE

Ao dar seguimento a ação, o ministro notificou a campanha de Haddad e Manuela para apresentar defesa. O ministro ainda fará uma segunda análise sobre se há elementos para o prosseguimento ou não do processo. 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: