Carlos Veras foi eleito deputado federal pelo PT-PE.
Carlos Veras foi eleito deputado federal pelo PT-PE.Foto: Germano Rodrigues


Em meio às divergências internas sobre a candidatura de Marília Arraes no Recife, o deputado federal Carlos Veras (PT) comentou sobre o assunto, em entrevista à Rádio Folha (FM 96,7), nesta sexta-feira (31). "Eu não vejo um projeto da Marília. Não podemos ter um projeto individual, precisamos de um projeto partidário", afirmou.

Segundo o parlamentar, a decisão deve respeitar as intâncias no Recife e no diretório estadual e deve ser feita depois de muito diálogo. Ele disse, no ento, que a exemplo de 2018, quando defendia a candidatura de Marília ao Governo do Estado e respeitou a decisão da executiva nacional, vai acatar o que foi decidido. "Vou estar do lado do PT, do meu partido. Esse é um debate que vamos fazer nas instâncias municipal, estadual e nacional para construir o que for melhor para o povo de Recife e de Pernambuco", disse.

Na entrevista ele evitou dizer sua posição pessoal sobre a candidatura de Marília. "Nosso mandato é um mandato popular. A posição individual de carlos veras não pode se sobrepor", ponderou. Ele cobrou de seus colegas de partido que as discussões internas não sejam feitas por meio da imprensa, para preservar a unidade. "O pt sairá unido ou não na campanha de 2020? Esse é um debate que precisamos fazer internamente e falar menos na imprensa", comentou Carlos Veras.

Veras discorda do termo usado para definir a decisão do PT em 2018. "Marília não foi rifada, não aceitamos esse termo pejoirativo. Houve uma decisção nacional sobre o que era o melhor caminho. Isso faz parte da construção partidária. Marpília era veradora, não foi candidata a governadora mas saiu como a deputada mais votada do PT. Marília saiu grande desse processo", avaliou, criticando a cobertura de seotores da imprensa sobre a disputa no PT. "Eu não aceito que fiquem me jogando contra a deputada Marília Arraes ou contra o senador Humberto Costa. Internamente vamos fazer esse debate para construir melhor para o PT", frisou.

"A gente tem que se preocupar mais com os direitos da classe trabalhadora que estão sendo atacados e destruídos. Somos o parto que mais faz esse debate interno. O que eu tenho pedido aos meus companheiros e companheiras do partido é que precisamos debater sobre as decisções tomadas. Não dá para tomar uma decisão sem dialogar", concluiu.

Ouça a entrevista:


assuntos

comece o dia bem informado: