Líder do PT no Senado, Humberto Costa.
Líder do PT no Senado, Humberto Costa.Foto: Roberto Stuckert Filho

Com a articulação do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista das Fake News aprovou, nesta quarta-feira (23), os depoimentos dos deputados Delegado Waldir (PSL-GO) e Joice Hasselmann (PSL-SP), desafetos do Planalto. Além deles, foi aprovada a convocação do assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência da República, Filipe Martins, e o dono da rede varejista Havan, Luciano Hang, para explicar a produção de informações falsas a favor de Jair Bolsonaro e contra o PT.

Conhecido como “Véio da Havan”, o aliado de primeira hora do presidente já foi condenado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por propaganda eleitoral irregular em favor do então candidato do PSL à Presidência. Já Martins atua no Palácio do Planalto em parceria com blogs sujos da direita e foi alvo de denúncia na revista Crusoé neste mês.

Humberto também participou da aprovação dos requerimentos que convidam ex-aliados do presidente para falar sobre a usina de fake news bolsonarista nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Entre eles estão o general Carlos Alberto dos Santos Cruz, demitido pelo governo em junho, além de Joice, da ex-líder do governo no Congresso, e do Delegado Waldir, ex-líder do PSL na Câmara, ambos destituídos do cargo por Bolsonaro após brigas com o presidente e seus filhos.

“Os brasileiros sabem que Bolsonaro só chegou onde chegou graças à produção e distribuição massiva de informações falsas e caluniosas na internet, principalmente por meio do WhatsApp, que já admitiu envio ilegal de mensagens na campanha. Agora, resta a CPI avançar para descobrir essa rede suja. Também esperamos que o TSE julgue o caso, que pode resultar na anulação da vitória de Bolsonaro”, resumiu.

O senador afirma que o PSL está colhendo derrotas atrás de derrotas na comissão porque não tem como se defender diante de tantas evidências, provas e depoimentos que demonstram de forma cabal que há uma milícia digital atuando, até hoje, para favorecer o capitão reformado e prejudicar opositores.

“São os próprios membros do PSL, que até ontem andavam de mãos dados com o presidente, que denunciam o uso de robôs e perfis falsos para espalhar mentiras e difamar o que chamam de inimigos. A lista de quem participou de tudo isso por dentro e hoje quer falar sobre é extensa. Caberá a CPI apurar todos os fatos para responsabilizar aqueles que cometeram crimes”, disse.

O líder do PT contou que não se preocupa com a convocação da presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), pois quem não deve, não teme. Ele criticou a tentativa de politizar o andamento da CPI feita pelo partido de Bolsonaro, sem a apresentação de qualquer indício contra petistas. “Ela virá com o maior prazer aqui”, falou. A CPI volta a se reunir na próxima terça-feira.


assuntos

comece o dia bem informado: