Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Ciro Gomes
Ciro GomesFoto: Divulgação

Ainda que o presidenciável Ciro Gomes, ao ser indagado sobre conversas com partidos como DEM, PP e PCdoB, tenha declarado, ontem, que sua "prioridade" é o PSB, nas hostes pedetistas, a avaliação que se faz é de que "ele não pode ficar isolado no canto do ringue". Em outras palavras, em conversas reservadas, a análise é de que o pré-candidato não pode deixar para "começar a conversar com outras siglas depois que fechar com o PSB". A estratégia é "ir levando simultaneamente, ainda que o PSB seja aliança prioritária e com o qual as costuras andam mais adiantadas", observa um pedetista nos bastidores. No PDT, segundo fontes relatam nas coxias, havia uma perspectiva de que "a definição no PSB fosse ocorrer mais rápido". Diante disso, Ciro "tem que jogar em todas as frentes", defende um aliado do presidenciável. Na leitura de integrantes do PDT, o foco se vira, então, para siglas que ainda não têm candidatura, a exemplo do PSB, do PP e o DEM, visto por pedetistas como uma sigla que "ensaia" candidatura com Rodrigo Maia, mas que deve coligar com outro projeto. Por outro lado, deixar os demais partidos para depois não deixa de ser também uma fórmula de evitar espantar os de centro-esquerda.

Henry vê "cúmulo do cinismo"
Vice-governador do Estado, Raul Henry, à coluna, definiu como "cúmulo do cinismo" a posição adotada pelo ex-ministro Fernando Filho ao ser indagado se a chapa de oposição seria o palanque do presidente Michel Temer. "Essa afirmação representa para mim o cúmulo do cinismo!", arremessou Henry sobre a fala do democrata.

Sem crer > À coluna, Henry prosseguiu: "Depois de toda perseguição que nós sofremos, o ex-ministro ter a cara de pau de fazer afirmação dessa...". Presidente do MDB no Estado, Henry ainda luta na Justiça pelo comando da sigla que a direção nacional do partido defendeu que passasse às mãos do senador Fernando Bezerra Coelho, membro da base do governo Temer.

Ser ou... > Após o ato das oposições, que lançou Armando Monteiro como cabeça de chapa e Mendonça Filho como postulante ao Senado, Fernando Filho, indagado se a pecha de "chapa de Temer" acarretaria prejuízos, devolveu: "Até porque não é a chapa de Temer. Raul Jungmann (Ministro da Segurança Pública) está lá (na aliança de Paulo Câmara), porque o MDB, a princípio, está lá".

...não ser > O ex-ministro prosseguiu: "Porque tem deputados que estão lá e votaram a favor do impeachment, que votaram em outras matérias com o presidente. Não vejo dificuldade com isso. Isso é algo de querer confundir o eleitor. Eles, agora, querem aliança com o PT. É só pegar os vídeos do governador".

Decoro > O deputado Edilson Silva anunciou que irá representar contra o presidente da Alepe, Guilherme Uchoa, no Conselho de Ética, por, supostamente, ter criado empecilhos à audiência pública sobre planos de saúde na manhã de ontem. O líder do PSOL apontou suposta falta de decoro do presidente da Casa.

Presidenciáveis 1 > O Conexão Empresarial/LIDE, evento promovido pela VB Comunicação, vai reunir candidatos à Presidência da República e ao Governo de Minas, além de outros postulantes e empresários em Tiradentes.

Presidenciáveis 2 > A plenária com os candidatos acontecerá na próxima sexta, de 8h30 às 13h30, no salão de convenções da Pousada Pequena Tiradentes. Em debate, questões econômicas, políticas, entre outras.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: