Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Mendonça Filho, Armando Monteiro Neto e Bruno Araújo
Mendonça Filho, Armando Monteiro Neto e Bruno AraújoFoto: Divulgação

O assunto ganha eco nas coxias apenas. Mas a iminente candidatura ao Senado do deputado federal Bruno Araújo acende o sinal amarelo em entusiastas do postulação do deputado federal Mendonça Filho, que concorrerá à Casa Alta. Nos cálculos de aliados do democrata, o fato de seu filho, Vinícius, ter sido lançado candidato a deputado federal deixa Mendonça sem margem de manobra para trabalhar votos. Em outras palavras, ao abrir mão da corrida pela Câmara Federal, Bruno terá, na leitura de um oposicionista, em reserva, “votos para distribuir”, o que poderá lhe render apoios. Nessa conjuntura, há quem considere que ter lançado o filho no páreo pela Câmara Federal com antecedência pode ter sido uma “estratégia arriscada” de Mendonça. Isso porque alguns parlamentares passaram a enxergar a postulação de Vinícius como concorrência e já exemplos anotados de quem, em função disso, andou afirmando que prefere votar em Bruno Araújo, que encontra-se no mesmo campo. Bruno ainda não anunciou, oficialmente, que estará na chapa majoritária, mas já há candidatos a deputado federal, a exemplo do ex-prefeito de Inajá, Leonardo Martins, que se mostram decididos a votar nele para senador.

Fugindo da forca
Integrantes da chapinha que une PP, PCdoB, PDT, SD e PROS se reúnem, hoje, às 12h, na sede do PP. Há partidos nesse time assediados pela oposição, o que poderia acarretar desfalques ao agrupamento, que está sendo chamado de “fugindo da forca”.

Corrida... > Ex-prefeito de Inajá, Leonardo Martins, do PROS, bateu o martelo e concorrerá a deputado federal. À coluna, adianta que votará em Bruno Araújo para o Senado: “Vou votar nele (Bruno). Uma vaga de senador está fechada com ele”.

...à Câmara... >
O ex-prefeito informa ainda que dobrará com o primo, o deputado estadual Claudiano Martins, que concorre à reeleição. Leonardo só não assegura ainda que estará na chapinha, formada por PP, PCdoB, PDT, SD e PROS.

...Federal > “Até o dia 5, tomamos a decisão”, assinala Leonardo. Ele é irmão do prefeito de Manari, Van de Otaviano.

Campo 1 > No PROS, não está de todo descartada a hipótese de Maurício Rands vir a concorrer ao Senado numa chapa encabeçada por Marília Arraes.

Campo 2 > Há quem lembre que a vereadora militou anos no PSB, antes de migrar para o PT, partido ao qual Rands também foi filiado, como foi ao PSB. Argumenta-se, nos bastidores, que o campo é o mesmo. Não haveria, então, contradição ideológica.

Climão 1 >
A secretaria estadual de Meio Ambiente, que está no radar do MDB, chegou a ser oferecida ao PROS. Isso ocorreu, no entanto, mediante a condição de que o ex-deputado federal Bruno Rodrigues assumisse o comando da pasta.

Climão 2 > Apesar de filiado ao PROS, Bruno é ligado ao vice-governador, Raul Henry, do MDB, o que fez soar ao PROS que a alternativa oferecida se configurava em imposição.

Definições > Às 9h de hoje, o PROS realiza eleição para o diretório estadual e vai aprofundar discussão sobre os rumos que adotará no pleito deste ano.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: