Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Governador Paulo Câmara passou o cargo, ontem, para o presidente da Alepe, Eriberto Medeiros, quando apresentou projetos a ele, encaminhados, ontem, ao legislativo
Governador Paulo Câmara passou o cargo, ontem, para o presidente da Alepe, Eriberto Medeiros, quando apresentou projetos a ele, encaminhados, ontem, ao legislativoFoto: Divulgação

Os projetos chegaram, na última sexta (9), à Assembleia Legislativa de Pernambuco. Antes disso, o governador Paulo Câmara (PSB) tratou de apresentá-los, em primeira mão, ao presidente da Casa, Eriberto Medeiros (PP). O socialista traçou as propostas ao progressista durante a passagem do governo na tarde de sexta. À noite, o chefe do Executivo estadual embarcou para 10 dias de férias na Espanha.

Os referidos projetos são relacionados ao sistema tributário de Pernambuco e caberá ao secretário executivo da Fazenda, Bernado D´Almeida, detalhar as matérias na segunda ou na terça-feira. Os objetivos são os seguintes: viabilizar uma maior competitividade das atividades econômicas e contemplar a população mais carente ao mesmo tempo.

As principais propostas visam a redução da alíquota do ICMS do diesel, de 18% para 16%, e a criação da Nota Fiscal Solidária, um programa de restituição de impostos que atenderá mais de um milhão de beneficiários do Bolsa Família no Estado. A redução da carga tributária do diesel deve gerar um aumento significativo na circulação de caminhões, tornando o estado de Pernambuco mais competitivo.

Leia também
PT se reúne em São Paulo para primeira avaliação após as eleições
Retórica agressiva deve ficar no passado, diz Paulo Câmara sobre Bolsonaro
PSB anuncia oposição a Bolsonaro, mas sem inviabilizar o governo

A Nota Fiscal Solidária, por sua vez, garantirá um pagamento anual de até R$ 150 às famílias integrantes do Bolsa Família. Funcionará da seguinte forma: ao realizar uma compra de itens da cesta básica, o beneficiário informará o CPF, que será incluído na Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e), gerando créditos para restituição em até um ano. As iniciativas serão executadas, segundo governistas, por meio do Fundo Estadual de Combate à Pobreza, composto por recursos do ICMS de produtos como cigarro, armas, produtos de alto luxo, entre outros. A redução do diesel já era uma reivindicação dos caminhoneiros, mas agrada todo setor produtivo num momento em que o Brasil está submetido à grave crise fiscal. Paulo Câmara quer ainda deixar claro seu compromisso com a área social, num contraponto a cortes que venham a ocorrer em nível nacional.

Um extra para o Fundo
Ao Fundo de Combate à Pobreza, serão acrescentados produtos como carnes gourmet, embalagens plásticas não retornáveis, garrafas plásticas e canudos, automóveis (exceto de 1.000 cilindradas até R$ 50 mil), motos acima de 250 cilindradas, explosivos, refrigerantes e isotônicos. Do ICMS sobre esses produtos, 2% vão para o Fundo.

Gestos > O deputado Lucas Ramos (PSB), que teve nome ventilado para concorrer à presidência do partido, considera o seguinte: "Eriberto Medeiros é uma alternativa para o PSB porque já tem bom trânsito na Casa e tem se mostrado excelente parceiro do governo".

Na cota > Lucas pondera: "Agora, ele é uma alternativa". Nos bastidores, governistas registram que as articulações "estão bem encaminhadas na direção de Eriberto e que o espaço dele na presidência da Alepe entra na cota do PP no governo".

Cotação > Para concorrer à 1ª secretaria, o nome mais cotado do PSB no Palácio das Princesas, hoje, é o de Clodoaldo Magalhães (PSB).

Olho em 2020 > Há apostas de que o governador Paulo Câmara possa convocar Carlos Veras (PT) como forma de contemplar o deputado Odacy Amorim (PT) com uma cadeira na Câmara Federal. O gesto poderia ter repercussão nas composições para 2020.

2º turno - Em entrevista à rádio local ontem, Tony Gel (MDB) revelou não ter votado nem em Bolsonaro, nem em Haddad, no 2º turno.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: