Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Miguel Coelho
Miguel CoelhoFoto: Folha de Pernambuco

A escolha que o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (sem partido), vai fazer do partido para o qual migrará deve representar, nas palavras dele, "também o interesse de Petrolina, mas não só para 2020, mas que a gente também possa mostrar aos pernambucanos que a gente está trabalhando por um projeto de mudança em 2022".

Indagado se abraçaria a missão de renovar o PSDB no Estado, Miguel, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta quinta-feira (18), disse que "percebe o interesse do governador João Dória de fazer esse movimento de renovação". E emendou: "Inclusive, alçando, aí, Bruno Araújo para presidência nacional, que é de uma nova geração do que antes estava posto".

O PSDB, na análise de Miguel, "é um partido de história, é um partido, que tem passado, tem trabalho, tem resultado". Ele, então, afirma: "Eu ficaria muito honrado de fazer parte desse partido ou de qualquer um outro que pudesse fazer o convite".

O prefeito de Petrolina, no entanto, garante que "não houve qualquer tipo de convite nesse ponto, até porque você não pode querer chegar num partido e já sentar na janela".

Em meio às especulações que de que poderia vir a presidir o PSDB em Pernambuco, Miguel adverte: "Você tem que respeitar as pessoas que estão no partido, que fazem e fizeram a história do partido em Pernambuco".

Então, cita alguns nomes. "Para dar alguns casos, você tem o próprio Bruno, Edson Vieira, tem a prefeita Raquel Lyra, o ex-governador João Lyra. Isso não pode ser algo construído de cima para baixo, tem que ser algo construído com todos".

Miguel pondera o seguinte: "Confirmando a ida de Bruno para presidência nacional, esse é um próximo debate. Mas a gente não pode apressar. Eu não estou falando pelo PSDB, que fique muito claro, até porque estou sem partido. Mas entendo que qualquer movimentação dessa natureza deve ser feita a várias mãos".

À coluna Folha Política desta quinta-feira (18), o presidente do PSDB-PE, Bruno Araújo acenou com interesse em agilizar o processo de travessia: “Se ele (Miguel) tiver de vir para o PSDB, a gente quer construir num período curto. Se alternativa for essa a gente quer que ele se integre o mais rápido para participar desse processo de construção”.

“Para o projeto que está sendo construído de reapresentação do PSDB, a cara de Miguel tem tudo a ver com isso”, realçou Bruno Araújo. Miguel agradeceu, na entrevista à Rádio Folha, as palavras do dirigente estadual.

O prefeito falou ainda das audiências que teve os ministros Luiz Henrique Mandetta (Saúde) e Abraham Weintraub (Educação), das pesperctivas para 2020 e da Reforma da Previdência.

A entrevista na íntegra está no podcast abaixo:

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: