Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
05.07.2019 - RÁDIO - Entrevista com Eriberto Medeiros, presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco para Folha de Pernambuco
05.07.2019 - RÁDIO - Entrevista com Eriberto Medeiros, presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco para Folha de PernambucoFoto: (foto: Julya Caminha)

Na iminência de o governador Paulo Câmara fazer a indicação de um nome para substituir o conselheiro João Campos no Tribunal de Contas do Estado, o presidente da Assembleia Legislativa, Eriberto Medeiros, informa que, caso a escolha do socialista chegue no período de recesso, isso não implicará em convocação automática de uma sessão extraordinária. "É do meu perfil sempre ouvir. Iremos ouvir os colegas para tomarmos uma decisão", informa o mandatário da Casa de Joaquim Nabuco, explicando que vai consultar os colegas sobre eventual votação no recesso. Ciente do movimento que vem sendo feito por parlamentares, como a coluna cantara a pedra, no sentido de pleitear que o governador "devolva", à Alepe, a vaga que os deputados cederam a uma indicação do, então, governador Eduardo Campos, Eriberto avalia tal debate como "pertinente". E realça se tratar de uma questão de proporcionalidade. "Alguns colegas levantam a discussão de que, ali, se quebrou a proporcionalidade da Assembleia. Essa discussão é pertinente nesse momento". Eriberto faz as contas: "A Constituição diz que são sete membros. Desses, um é indicação livre do governador, um representa auditoria do TCE, outro, o Ministério Público de Contas e três são vagas da Assembleia". E acrescenta: "No passado, sabemos que uma dessas vagas, para a qual foi indicado o conselheiro Marcos Loreto, era da Assembleia. O governador Eduardo Campos fez a indicação e a Assembleia acatou". A despeito da tradição da Casa de aprovar as indicações, Eriberto sublinha que a Alepe "não está ali só para homologar decisão, não é só do governo estadual, é nada que chegue ali, nem de interesse popular, nem de Judiciário, nem de ninguém, está ali para analisar, dar parecer e votar". O presidente avisa: "Tudo que chegar vai ser analisado com muita responsabilidade". Ele falou em entrevista à Rádio Folha FM 96.7.

Se socialistas aceitassem
Nas coxias do governo, há quem lembre que o nome de Raul Henry seria uma alternativa para o TCE, não fosse o que socialistas definem como "aproximação dele com o senador Fernando Bezerra Coelho". Um governista faz uma conta rápida, à coluna, e diz que, de quebra, Milton Coelho ainda viraria deputado federal.
Estranhos... > A mesma fonte lembra que Henry sempre foi "leal" a Paulo Câmara, mas que, a despeito disso e de ter caído no colo dele a briga de FBC com o PSB, ele "nunca foi aceito pela maioria dos integrantes do partido do governador".
...no ninho >Hoje, Henry comanda a convenção estadual do MDB. A executiva passará a contar com Fernando Bezerra Coelho.
Originalmente, a convenção ocorreria no dia 15 de junho. Um edital chegou a ser publicado no DO. A mudança de data já foi resultado de solicitação de FBC, como a coluna antecipou. Ele fez um apelo pela alteração em função do São João de Petrolina.
A leitura do... > Em meio à discussão sobre a indicação de quem ocupará a vaga do conselheiro João Campos, o Sindicontas-PE, em nota, destacou a importância de um nome oriundo do quadro técnico. Argumenta que uma pessoa proveniente do Controle Externo reforça a autonomia, altivez e independência do Tribunal de Contas do Estado.
Por onde... > O ex-senador Armando Neto foi à mesa, anteontem, com o prefeito Anderson Ferreira, em Jaboatão. Foi o primeiro encontro dos dois após o pleito de 2018, quando o petebista disputou o Governo do Estado com apoio do republicano.
...andas > Armando defendeu que a gestão precisa ter continuidade para garantir que as conquistas sejam ampliadas e definiu o mandato de Anderson como estratégico para a oposição.

 

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: