Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Fernando Rodolfo, Patrícia Domingos e Daniel Coelho
Fernando Rodolfo, Patrícia Domingos e Daniel CoelhoFoto: Folha de Pernambuco

O deputado federal Fernando Rodolfo teve encontro com a delegada Patrícia Domingues, na Câmara Federal, essa semana, em audiência pública na Comissão de Segurança Pública. Trocaram uma ideia. Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, ontem, ele lamentou que a delegada esteja querendo deixar a carreira na Polícia Civil. "Ela conversando comigo, me fez uma revelação que muito me entristeceu, está estudando para concurso público, para sair da polícia". Fernando Rodolfo, então, emendou: "Porque está desanimada, desencantada, perdeu encanto pela atividade policial". A delegada comandava a extinta Delegacia de Polícia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp) e foi nomeada chefe da 5ª Delegacia de Polícia de Homicídios (DHPP), após ser chamada para exercer cargo de diretora adjunta do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco), mas ter externado intenção de assumir uma titularidade. "Ela foi transferida, perdeu a titularidade da delegacia na área que estava para ser adjunta. Ela está estudando para concurso", informou Fernando Rodolfo.

Patrícia passou a ter o nome cotado, para concorrer à Prefeitura do Recife em 2020. Fernando Rodolfo, no entanto, diz que não entrou no mérito com ela, soube apenas que o Cidadania teria feito o gesto. "Não falei sobre política partidária com ela, tomei conhecimento que Daniel Coelho ofereceu o Cidadania a ela para que ela dispute eleição. Mas ela, na conversa que teve comigo, mostrou-se muito desencantada com o momento que está vivendo na polícia", assinalou. E prosseguiu: "Ela é uma pessoa inteligente, muito culta, já passou em outros concursos. Ela disse: 'Já passei em outros, tenho certeza que vou passar'". À coluna, a delegada registrou apenas que "não comenta vida pessoal". Sobre o referido convite para o Cidadania, comandado no Estado por Daniel Coelho, ela negou. "Não recebi convite de ninguém, não sou candidata a nenhum cargo, não sou filiada a partido nenhum. Nesse momento, eu não trabalho com essa possibilidade", grifa Patrícia.

 

Daniel colocaria sigla à disposição
Daniel Coelho também esteve com Patrícia Domingos em Brasília. Indagado pela coluna se colocaria o partido à disposição dela, ele devolve: "Poderia botar, mas não teve essa conversa com ela, não teve conversa de política. Nem ela tem manifestado interesse em entrar em eleição, nem eu tava falando nisso".
E papo > "A gente tem conversado algumas vezes desde outubro, mas não entramos em política, foi sempre sobre a questão do combate à corrupção e tentativas de desmonte", relata Daniel Coelho, que também tem nome ventilado para concorrer à PCR.
Sentindo... > Até pouco tempo, a bolsa de apostas dava conta de que a PEC paralela formalizada no Senado não passaria na Câmara Federal. Nessa última semana, a perspectiva mudou. Pessoas próximas dizem que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, tem se posicionado no sentido de articular apoio à matéria.
...o clima > A estratégia seria conquistar votos dos deputados que foram contra a Reforma da Previdência, mas são a favor da inclusão de estados e municípios. Uma ala não aceita dar essa “colher de chá” aos governadores. Motivo: Os gestores do Nordeste não apoiaram a reforma. A solução seria compensar a subtração de votos desses críticos com votos dos que querem incluir estados.
Ouvidoria > A secretária da Controladoria-Geral do Estado, Érika Lacet, contabiliza quase 400 presenças confirmadas para as 18 palestras e cinco oficinas do Seminário Regional de Ouvidorias, que acontece na próxima semana no Centro de Convenções, em Olinda, e é organizado pelas controladorias da União e do Estado. 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: