Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Paulo Câmara e Jair Bolsonaro
Paulo Câmara e Jair BolsonaroFoto: Leo Motta - Arquivo Folha / Isac Nóbrega - PR

O governador Paulo Câmara embarca no próximo domingo para os Estados Unidos. Vai discursar, em nome dos governadores do Nordeste, na Climate Week, que ocorre em Nova York de 23 a 29 de setembro. Na última reunião que teve para tratar do Consórcio Nordeste, o socialista comunicou aos gestores da região, que havia recebido convite do Climate Group para fazer a apresentação. Os governadores nordestinos, então, deram carta branca que ele falasse em nome do conjunto. Na pauta, está a preocupação dos governadores da região com o desenvolvimento sustentável. Secretário de Meio Ambiente do Estado, José Bertotti, acompanha o governador na viagem, assim como os secretários de Imprensa, Eduardo Machado, e o chefe da Assessoria Especial, Antonio Figueira. A despeito da coincidência geográfica, a agenda deve se configurar como mais um contraponto do socialista em relação ao presidente da República, Jair Bolsonaro, que estará em Nova York para discursar, na próxima terça-feira, na abertura dos debates da Assembleia Geral da ONU. O texto do presidente, segundo o porta-voz do Planalto, Otávio do Rêgo Barros, visará a esclarecer "de uma vez por todas" a "questão Brasil versus meio ambiente".

Em política, diz a máxima, que tudo que você precisa explicar não é bom. Câmara, por sua vez, vai realçar que o olhar para o desenvolvimento sustentável, que olha para o econômico e o social mas garante um meio ambiente protegido, é primordial para Pernambuco e região e deve citar programas como o Plástico Zero, por exemplo, implantado em Fernando de Noronha, além de iniciativas que envolvem energias renováveis. Anexará, assim, mais um episódio à lista dos contrapontos que vêm exercitando

em relação ao Governo Federal.


 

Governador na linha com Moro
Na última terça, o ministro Sérgio Moro telefonou para Paulo Câmara. Teria agenda, ontem, em Pernambuco referente ao programa Em Frente Brasil, que tem Paulista como uma das cidades onde o projeto-piloto foi implementado. O socialista avisou que tinha agenda em Fernando de Noronha para entrega de casas populares, marcada desde maio, e que não teria como conciliar. Moro, então, disse que achava importante realizar o ato na presença do governador e adiou.
Coxias - Originalmente, Moro viria a Pernambuco e o senador Fernando Bezerra Coelho viria junto, o que levou, ontem, alguns observadores da cena a fazerem uma conexão entre a Operação Desintegração, que teve Fernando como alvo, e a desistência de Moro.
Agenda - Em Fernando de Noronha, ontem, Paulo Câmara entregou 26 casas populares, 68 escrituras, inaugurou o Cras, vistoriou obras do porto...
Resumo - Diante da operação que atingiu, ontem, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, alvo de mandados de busca e apreensão, o senador Jarbas Vasconcelos falou bem pouco: "Decisão da Justiça se cumpre. E, durante o processo, os acusados terão o direito de se explicar". O senador Humberto Costa preferiu não comentar.
Adiante - Diante do episódio envolvendo FBC, que desencadeou notas de reação do Senado e da OAB, ontem, houve, nos bastidores, quem lembrasse que os vetos na lei de Abuso de Autoridade, feitos por Jair Bolsonaro, ainda vão ser analisados no Congresso e essa análise poderia sofrer reflexos. 

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: