Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Luciano Bivar
Luciano BivarFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Das quatro vagas que o PSL possui no Conselho de Ética da Câmara Federal, sendo dois titulares e dois suplentes, três são ocupadas por membros ligados ao presidente nacional da legenda, Luciano Bivar. Os titulares são: Delegado Waldir (GO) e Fábio Schiochet (SC). O primeiro, desafeto de Eduardo Bolsonaro, acabou substituído pelo herdeiro do presidente da República no posto de líder da sigla na Câmara Federal após uma guerra de listas. O segundo assinou lista em favor do Delegado Waldir, preside o PSL em Santa Catarina e tem adotado um discurso de conciliação após o imbróglio. Na suplência, estão Júnior Bozzela (SP) e Daniel Silveira (RJ).

O paulista foi alvo de ataques recentes de Eduardo Bolsonaro. O carioca foi o deputado que admitiu ter gravado a reunião da bancada do PSL em que o ex-líder, Delegado Waldir (GO), falou em “implodir o presidente“. A despeito da composição sinalizar para alinhamento maior com Luciano Bivar, o próprio dirigente nacional evita apontar esse desenho como algo que interfira em eventual cassação de Eduardo. "O Conselho de Ética é formado pela proporcionalidade dos partidos na Câmara Federal. Então, esse Conselho de Ética é regido, tradicionalmente, por essa participação percentual dos partidos na Câmara. Não é ligado a A, B ou C", pontuou Bivar ao ser indagado pela coluna sobre o tema durante a solenidade em que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e deputados nordestinos foram homenageados pela Novabio no Recife em função da luta em prol da produção de etanol da região. Bivar completou: "E mesmo que tivesse ligado a A, B ou C, tem uma coisa que precede a isso, que é a justiça, que é a verdade, que é o interesse maior pela nação".


"Isso tudo já é passado"
Indagado se decepcionou-se com a declaração do presidente Jair Bolsonaro que resultou em racha no PSL, Luciano Bivar desconversa: "Isso tudo já é passado". Também não se mostra a favor de cassação de Eduardo Bolsonaro. "Acho que o que foi eleito pelo povo tem que ser mantido", defende Bivar
Urnas > Bivar completa assim: "Acho que é uma coisa institucional e acho que a decisão do povo é soberana, como a dos partidos políticos é soberana. A gente não pode, em nenhum momento, tentar destruir o instituto partidário desse país, porque é o prórpio regime democrático brasileiro".
bunker ...> Integrantes de um dos polos industriais de maior crescimento e geração de empregos no Estado, as cervejarias têm recebido atenção especial do governador Paulo Câmara. Ontem, ele visitou, em São Paulo, o “bunker” da Ambev - líder do setor no país - para mostrar que o Estado está aberto a novos investimentos.
...da Ambev > Câmara viajou com Bruno Schwambach, que é empresário e tem articulado parte das agendas do governador com investidores. Em função dessa agenda, como a coluna antecipara, o governador acabou não se encontrando com Rodrigo Maia na segunda. Também gravou programa com Juca Kfouri.
Títulos > Corresponde a 428 o volume de Títulos de Propriedade do Habitacional Abençoada por Deus que a secretária de Habitação , Isabella de Roldão, entrega ao lado do prefeito Geraldo Julio hoje.
Menu > Augusto Coutinho retornou a Brasília no voo com Rodrigo Maia, jantou com ele e líderes na segunda. A CPI do óleo foi à pauta. Coutinho argumentou que ela pode vir apresentando resultados.
Tá frio >Indagado se deu para tirar temperatura da posição do presidente, Augusto devolveu: "Não deu. Eu tava presente quando ele lhe deu entrevista ontem e saí às 23h do jantar com a mesma impressão de quando ele deu a entrevista. Ele não disse nem que sim nem que não. Muito pelo contrário. Então, vamos aguardar". 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: