Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
João Campos, Lula e Marília Arraes
João Campos, Lula e Marília ArraesFoto: divulgação

Estratégia similar foi adotada em 2006, quando os ex-ministros Eduardo Campos (Ciência e Tecnologia) e Humberto Costa (Saúde), ambos concorrendo ao Governo do Estado, dividiram os holofotes no palanque do ex-presidente Lula em Pernambuco. O líder-mor do PT disputava a reeleição e até tentou, sem sucesso, evitar divisão da oposição. Precisando do apoio do PSB, levando em conta também um eventual segundo turno, Lula dividiu-se entre apoios a Campos e a Costa.

Agora, quando o PT ventila ter candidatura própria no Recife em 2020, nas hostes socialistas, a tese de Lula subir em dois palanques é considerada uma alternativa viável. Discute-se a hipótese de Lula apoiar João Campos, potencial candidato do PSB, e Marília Arraes, potencial candidata do PT simultaneamente. Fontes governistas, inclusive, não descartam que isso ocorra sem que o PT perca os espaços que ocupa nas gestões Paulo Câmara e Geraldo Julio. "Mesmo lançando Marília, o PT não perderia espaço no Governo do Estado", pondera à coluna um graduado socialista em reserva. Diferente de 2006, Lula não será candidato em 2020, mas já começa a construir as pontes para 2022. O PSB faria essa "concessão", tendo ciência de que, em Pernambuco, "ser o candidato de Lula tem um peso". Na gestão Paulo Câmara, o PT ocupa a secretaria de Desenvolvimento Agrário e a presidência do IPA. Na Prefeitura do Recife, comanda a Secretaria de Saneamento. São esses espaços que os socialistas cogitam manter na cota petista, caso a tese de Lula subir em dois palanques vingue. O final da história de 2006 já é conhecido: Campos abriu vantagem sobre Humberto na última semana de campanha, foi ao 2º turno com Mendonça Filho e terminou vencendo o pleito.


 

GOIANA NA MIRA DE BRUNO
Ao colocar o nome à disposição para concorrer a prefeito de Goiana, Bruno Lisboa tem realçado os laços com a cidade. Em 2018, ele coordenou as campanhas dos integrantes da chapa majoritária de Paulo Câmara e a de Raul Henry no município. Antes, já havia sido secretário de Planejamento e de Saúde lá, onde tem casa há 30 anos.
Base > De antemão, Bruno observa: "A gente se envolveu cada vez mais na questão política da cidade e vimos que havia necessidade de ter uma coisa nova em Goiana". E adverte que essa construção se dará "ao lado das forças que compõem o governo Paulo Câmara".
Crédito... >A convite do Encontro das Instituições Financeiras de Desenvolvimento da Região Nordeste, promovido pela Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE), em Natal (RN), o diretor presidente da Agência de Empreendedorismo de Pernambuco (AGE), Marcelo Barros, fará palestra, amanhã, sobre o Crédito Popular.
...popular > Em Pernambuco, quatro mil pessoas já se cadastraram em busca do Crédito Popular, programa lançado pelo governador Paulo Câmara no mês passado. A estimativa é de que 80 mil postos de trabalho sejam gerados no Estado com o programa até 2022.
A montanha... > Secretário executivo do Ministério de Desenvolvimento Regional, Mauro Biancamano, foi ao encontro de os prefeitos pernambucanos Marcos Patriota (Jupi) e Dannilo Godoy (Bom Conselho), ontem, em Brasília. Recebeu demandas dos gestores.
...vai a Maomé > O encontro se deu no gabinete do deputado Fernando Monteiro. Em pauta, pedidos para a liberação de recursos e homologação de projetos, além de pleitos por obras em Limoeiro, Ribeirão, Santa Filomena, Buíque, Agrestina e Itamaracá.
Inspeção > Ao lado do MPPE, da Defensoria Pública, entre outros, as Juntas Codeputadas fizeram uma vistoria, ontem, no Complexo do Curado para analisar as condições de encarceramento. Da visita, resultará relatório consolidado por todas as instituições. 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: