Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Geraldo Julio, Ciro Gomes e Túlio Gadêlha
Geraldo Julio, Ciro Gomes e Túlio GadêlhaFoto: divulgação

Presidente nacional do PDT, Carlos Lupi ainda está fechando a data, mas deve estar no Recife no próximo dia 18 provavelmente. Vai cumprir três agendas na Capital e não vem só, desembarcará acompanhado do presidenciável Ciro Gomes. Como a coluna cantara a pedra, Lupi cumprirá agenda administrativa a convite do prefeito Geraldo Julio: vai inaugurar a Escola Leonel Brizola. Ciro vai junto.

À coluna, Lupi reconhece “o gesto do PSB como muito significativo” e explica o porquê: “Porque a vida do Brizola foi se dedicar à causa da Educação e a inauguração de uma escola com o nome dele, principal referência do PDT, é um gesto muito importante. Fico muito feliz com isso”. Indagado se, após o hiato gerado por 2018, quando o PSB deixou de apoiar Ciro Gomes para ficar neutro em prol do PT, haveria, agora, uma rota de aproximação entre o PSB e o PDT, Lupi devolveu o seguinte: “Já temos uma relação boa. Estamos pensando muito parecido no sentido de costurar uma frente independente para o Brasil”. Recentemente, como a coluna registrara, Lupi foi à mesa com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, quando trataram de costuras para 2020. Lupi diz que, “desde o começo da legislatura, estamos próximos”. Refere-se ao PDT e ao PSB. Cita que Alessandro Molon, do PSB e líder da Oposição, “é muito amigo nosso”. E diz que a frente que inclui PSB, Rede, PDT e PV” está se consolidando. Lupi também lançará, no Recife, um livro intitulado “Um golpe contra os trabalhadores”, no qual denuncia as perdas do governo Temer até o governo Bolsonaro. Ainda está definindo onde será a sessão de autógrafos. Como havia antecipado em entrevista à Rádio Folha no início de novembro, Lupi vem ainda ao Estado para lançar a pré-candidatura de Túlio Gadêlha à Prefeitura do Recife. Colocará, assim, Túlio no páreo para 2022 sem deixar de acenar ao PSB, em cuja gestão o PDT ainda tem espaços.


Daniel rechaça 2º turno com... 
Dirigente estadual do Cidadania, o deputado federal Daniel Coelho lança uma recomendação para Oposição no Recife: “Não podemos incorrer no erro de sair com palanques divididos e ter até o risco de duas candidaturas de um mesmo projeto ou quem sabe até duas candidaturas da mesma família”.
...”dois primos” > Daniel Coelho, então, acende o sinal amarelo: “O Recife não pode aceitar um segundo turno de dois primos”. Para isso, acrescenta: “a gente precisa da unidade das oposições e, sem nenhuma dúvida, o candidato que vier a ser escolhido irá para o segundo turno e irá vencer”.
Afinidades 1 > Sobre a agenda conjunta com Felipe Carreras essa semana, Daniel realça a “boa relação” com o socialista “no campo das ideias”. Admite que eles têm, como a coluna registrara, “votado junto em diversas matérias”.
Afinidades 2 > “Em muitos momentos, ele (Carreras) segue posições nossas (Cidadania) e não a posição do próprio PSB, mas isso não tem a ver com eleição municipal”, minimiza Daniel Coelho.
Com José Múcio > Na esteira das movimentações mais políticas que o governador Paulo Câmara encampou em Brasília nos últimos dias, o socialista tratou de fazer visita de cortesia ao presidente do Tribunal de Contas da União, José Múcio Monteiro.
Circulando > A agenda do govenador com José Múcio integra a estratégia de mudar de postura e começar a andar mais em prol tanto da política institucional como partidária. 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: