Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Geraldo Julio, Carlos Lupi e Paulo Camara
Geraldo Julio, Carlos Lupi e Paulo CamaraFoto: Divulgação

"Eu não aceitaria que ele (Túlio) tome outra decisão a não ser ser candidato". A declaração foi dada pelo presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, ontem, ao desembarcar em Pernambuco, onde transmitiu o comando da sigla no Recife para o deputado federal Túlio Gadêlha. Indagado, no entanto, se, em função do projeto majoritário, o PDT desembarcaria das gestões do PSB, Lupi devolveu que "são coisas distintas". Se de um lado, conferiu mais autoridade a Túlio para formatar uma candidatura sua na Capital, de outro, Lupi não deixa de fazer gestos, hoje, com o governador Paulo Câmara e com o prefeito Geraldo Julio.

O dirigente pedetista começa o dia, hoje, no Palácio do Campo das Princesas, onde toma café da manhã com os gestores do Estado e da Capital. A leitura que aliados fazem é que Lupi veio entregar o comando municipal a Túlio, mas não pretende fechar as portas com o aliado preferencial no Estado, que é o PSB. Ainda na entrevista que concedeu ao chegar ao Recife, Lupi, ao mininizar a hipótese de desembarque do PDT das administrações socialistas, observou: "Essa questão do governador é uma questão que envolve mais a Assembleia Legislativa, a Câmara Federal. A questão do prefeito temos boa relação e vamos continuar tendo". E aí emendou: "Desde o começo, a gente fala que vai ter candidatura própria. Não estamos enganando ninguém". Anteontem, Geraldo Julio, que circulava por Brasília, esteve com o presidente do PDT-PE, Wolney Queiroz. O partido ocupa a Secretaria de Habitação do Recife e a Secretaria de Trabalho no Governo do Estado. Mas, além de não arranhar a relação com o PSB, Lupi trabalha ainda para driblar arestas internas. Em novembro, quando anunciou, em entrevista à Rádio Folha, que lançaria a pré-candidatura de Túlio em dezembro, viu o pré-candidato trocar farpas com Wolney. Túlio assinalou, ali, que a meta era "tirar a poeira do PDT de Pernambuco e abrir as portas para toda esse pessoal que acreditou no projeto apresentado por Ciro Gomes em 2018". Wolney reagira: "A única 'poeira' encontrada no PDT de Pernambuco está sobre a cadeira de Túlio, visto que o mesmo, já há bastante tempo, não comparece às atividades da legenda". Nesse processo, Lupi vai se equilibrando, fazendo gestos, para um lado e para outro.

 

Patrícia Domingos:"Eles que lutem"
Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7 ontem, a delegada Patrícia Domingos disse que está vendo "dois políticos, por herança genética, se digladiando por um lugar ao sol". E, bem-humorada, emendou: "Então, eles que lutem, como diz a frase, eles que se resolvam. Mas a oposição ela tem que ter um projeto próprio".
Do mesmo > Patrícia se refere a João Campos e a Marília Arraes. E diz que a Oposição não deve se pautar pelos adversários. Pontua que os vê como ramos do mesmo tronco, "especialmente porque o PT e o PSB estão unidos no estado declaradamente. Não vejo diferença".
Reconduzido > O deputado federal André Ferreira angariou apoio suficiente e foi reconduzido à liderança do PSC na Câmara Federal.
Impactos> Em parceria com o Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região, o Instituto Egídio Ferreira Lima realiza, no próximo dia 14, palestra de abertura do ano letivo da Escola Judicial do Trabalho. Vai ser proferida pelo ministro Walmir Oliveira da Costa, do Tribunal Superior do Trabalho. Na pauta, uma análise sobre "Os impactos da Reforma Trabalhista na Jurisprudência do TST".
Autógrafos > Como a coluna antecipou, Carlos Lupi veio ao Estado para a convenção do PDT de Paulista. Antes, ele lança seu livro ‘Um Golpe Contra os Trabalhadores’ no North Way Shopping, às 15h, e, às 19h, autografa na Livraria Jaqueira do Recife Antigo. 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: