Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Presidente da Amupe e prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB)
Presidente da Amupe e prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB)Foto: Artur Mota / Folha de Pernambuco

O presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) e prefeito de Afogados da ingazeira, José Patriota (PSB), participou da reunião, no último domingo (29), do ministro da Economia, Paulo Guedes, com integrantes da Frente Nacional dos Prefeitos. Segundo Patriota, o ministro afirmou que a ajuda para municípios não tem limite e avisou ainda isentará as cidades de dívidas com a União.

Apesar da mensagem do ministro sinalizar um auxílio para as cidades, Patriota ressalta que essa ação precisa ser otimizada, pois não beneficia as pequenas e médias cidades, que não tem acesso a operações de crédito.

“A maioria dos munícipios brasileiros, pequenos e médios, não tem acesso a fazer operações de crédito. Quem tem grandes operações são, sobretudo, as capitais. Então, essa suspenção das dívidas para essas cidades e para os governos estaduais é muito importante, dá muito fôlego, mas não beneficia diretamente os pequenos e médios municípios”, pontuou.

A ação de desobrigar Governos Estaduais do pagamento de dívidas com União, durante a pandemia da COVID-19, foi anunciada, na última segunda-feira (23), pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, mas não incluía os municípios.

Atendendo a uma proposta feita por José Patriota, Bolsonaro também anunciou, naquela segunda-feira (23), que manterá o Fundo de Participação de Municípios (FPM), a despeito na queda da arrecadação. Na reunião com membros da Frente Nacional dos Prefeitos, Guedes defendeu a aprovação pelo Congresso Nacional de uma lei de emergência, visando a flexibilizar a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para casos como o da pandemia do novo coronavírus.

Segundo Patriota, ainda na reunião com o ministro da Economia e com o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, ficou acordado que a expectativa é de que a União possa fazer a recomposição do FPM para as cidades nos próximos três meses.

Local

Desde a última semana, o município de Afogados da Ingazeira vem tentando se reerguer após uma forte chuva, seguida de rompimento de uma barragem, devastar e deixar sem teto várias famílias da região. Cerca de 20 casas foram totalmente destruídas.

Em entrevista à Rádio Folha 96.7 FM, José Patriota, prefeito do município, reforçou que está tomando todas as medidas possíveis De acordo com o gestor municipal, um plano de contingenciamento para enchentes já estava preparado e desde a última terça-feira (24), a equipe de defesa civil do município está de prontidão permanente atendendo a população.

 

Ouça a entrevista completa:

 

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: