O ministro da Economia, Paulo Guedes
O ministro da Economia, Paulo GuedesFoto: Valter Campanato/Agência Brasil

Nas últimas semanas, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) vem recebendo críticas dos seus opositores e aliados para que sua articulação junto a parlamentares garantam os 308 votos para a aprovação da reforma da Previdência. Neste sábado (9), Bolsonaro esteve reunido com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no Palácio da Alvorada, em Brasília, para conversar sobre a tramitação da proposta no Congresso Nacional.

Rodrigo Maia já afirmava, na última sexta-feira (8), que a instalação Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) deve ser instalada até a próxima quarta-feira (13). A CCJ é imprescindível para aprovação e modificações no texto da nova reforma. Porém, após a reunião deste sábado com Bolsonaro nada se acrescentou em relação às declarações de expectativas do presidente da sexta-feira.

Leia também:
Maia visita Bolsonaro no Alvorada para tratar da reforma
Maia defende que BPC fique fora da reforma da Previdência


Contudo, em entrevista concedida ao jornal O Estado de São Paulo, que vai ser publicada na íntegra neste domingo (10), o ministro Paulo Guedes (Economia) revelou que faltam 48 votos serem fechados junto aos parlamentares para garantir a aprovação da reforma da Previdência. 

Apesar da declaração de Guedes, a líder do governo no Congresso, senadora Joice Hasselman (PSL-SP), ponderou a informação e não garantiu previamente os 308 votos desejados.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: