Apenados trabalham retirando a pintura antiga das casas no centro histórico de Olinda
Apenados trabalham retirando a pintura antiga das casas no centro histórico de OlindaFoto: Ray Evllyn | SJDH

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) premiou o trabalho feito por reeducandos, egressos prisionais de Pernambuco. O projeto Pinte o seu Patrimônio, criado pela Prefeitura de Olinda, venceu o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, considerado o mais importante na área do patrimônio histórico do país. A atuação dos cumpridores é viabilizada por uma parceria que a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) mantém a gestão municipal. A honraria foi entregue ao vice-prefeito de Olinda, Márcio Botelho, na última quinta-feira (05), no Rio de Janeiro. O trabalho de pintura e preservação dos casarios conquistou a categoria de Entidades Governamentais.

Desde 2017, a operação é realizada em parceria com os moradores, que adquirem os insumos necessários para execução do serviço. Através da Secretaria de Patrimônio do município, os egressos trabalham retirando a pintura antiga das casas, a maioria do século XVIII e XIX, para colocar tinta a base de cal. De acordo com a pasta, os serviços são muito minuciosos, já que precisam de cuidados no momento da remoção para não danificar a edificação. Por isso, eles passaram por capacitações ministradas por arquitetos e arqueólogos. Os apenados cumprem pena no regime aberto e são acompanhados pelo Patronato Penitenciário, órgão vinculado à SJDH. A remuneração é de um salário mínimo.

“O prêmio revela que estamos no caminho certo na reinserção desses reeducandos no mercado de trabalho. Estamos atingindo o objetivo de tirar da criminalidade aqueles que querem uma oportunidade. Os olindenses estão vendo o recomeço dessas pessoas de perto”, explica o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico.

“Esse projeto insere os reeducandos no patrimônio histórico da cidade. Gostaríamos de parabenizar todos envolvidos com o trabalho, inclusive a Secretaria de Justiça pela conquista”, destaca Marcio Botelho.

BIBLIOTECA - Com título de Primeira Biblioteca Pública de Pernambuco e a 3ª do Brasil, criada em 1830, por um decreto de Dom Pedro I, A Biblioteca Pública Municipal de Olinda também foi reformada por egressos do sistema prisional. Os trabalhos envolveram a recuperação da fachada, pintura, jardinagem, além das partes elétricas e hidráulicas.

assuntos

comece o dia bem informado: