Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel
Governador do Rio de Janeiro, Wilson WitzelFoto: Antonio Cruz/Agência Brasil

A bancada do PSL na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) atendeu a um pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que é presidente estadual do partido, e deixou a base do governo Wilson Witzel (PSC) na Assembleia.

Em nota, a bancada disse que discorda de posicionamentos políticos do governador Witzel. "Os 12 deputados do partido reiteram o compromisso com o Estado do Rio de Janeiro", diz o comunicado.

Na semana passada, Witzel criticou a forma como o presidente Jair Bolsonaro (PSL) lida com o Congresso.

Leia também:
Deputado do PSL oferece R$ 10 mil a quem matar suspeito de assassinato no ES
Flávio Bolsonaro vai à China e deve visitar Huawuei


Questionado diretamente sobre a possível falta de liderança do Executivo, o ex-juiz, que se elegeu com o apoio da família Bolsonaro, afirmou que "o governo precisa ter uma articulação melhor".

Antes, Witzel já havia acenado que pretendia concorrer à Presidência da República em 2022 e acabou ganhando um "gelo" dos deputados do PSL do Rio.

O governador do Rio também chegou a dizer que "Bolsonaro anima as redes, e o Brasil não sai do lugar" e fez reparos aos ataques a Felipe Santa Cruz, presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Em julho, Bolsonaro afirmou que poderia explicar a Santa Cruz como o pai dele desapareceu durante a ditadura militar (1964-1985).

veja também

comentários

comece o dia bem informado: