Prefeito de Petrolina, Miguel Coelho anunciou ingresso no MDB e comentou sobre a renovação do partido
Prefeito de Petrolina, Miguel Coelho anunciou ingresso no MDB e comentou sobre a renovação do partidoFoto: Rafael Furtado / Folha de Pernambuco

Após antecipar à Folha de Pernambuco de que vai se filiar ao MDB, em visita à presidência do jornal, na manhã desta segunda (14), o prefeito de Petrolina Miguel Coelho falou sobre o processo de renovação do partido, a partir da eleição de Baleia Rossi como presidente nacional e a solução encontrada para a disputa interna na legenda protagonizada pelo senador Fernando Bezerra e o grupo de Jarbas Vasconcelos e Raul Henry, sobretudo no período que antecedeu as últimas eleições majoritárias. A oficialização do ingresso de Miguel ao histórico partido deve ocorrer num ato político previsto para novembro. 

"O MDB está com uma visão de deixar de ser apêndice. A postura de Raul (Henry) e até por termos resolvidos os conflitos com Raul e Jarbas isso já é uma sinalização. A nossa ida para o MDB é mais uma sinalização de que o MDB quer ter protagonismo próprio e não mais depender do PSB e de qualquer outro partido", afirmou o prefeito. Raul Henry, antigo aliado do PSB de Paulo Câmara, desembarcou do governo e já externou seu desejo de ser candidato à Prefeitura do Recife em 2020. Após a visita à Folha, Miguel foi ao encontro de Raul Henry, que é presidente estadual da legenda, para informá-lo sobre a decisão de se filiar.

Miguel não negou suas pretensões de um dia ter seu nome alçado para a disputa ao Palácio do Campo das Princesas. "É inegável. Ninguém que está na política vai dizer que não quer ser governador, presidente, senador, todo mundo quer crescer. Jornalista quer ser editor, médico quer ser dono de seu hospital, advogado ter um escritório, todo mundo quer crescer", disse.

Sobre a possibilidade do prefeito Geraldo Julio (PSB) vir a ser o candidato socialista ao Governo do Estado em 2022, ele contemporizou, analisando a conjuntura política desse provável movimento. "Eu não vi ainda Geraldo dizer que quer quer ser candidato em 2022. Então para mim não é candidato até que ele se coloque como candidato. Geraldo vai ser candidato perdendo a Prefeitura do Recife e não fazendo o seu sucessor? Tem muitos 'ses' e muitas perguntas para ser respondidas até 2020. É muito prematuro pensar em 2022 sem antes pensar nas eleições do ano que vem. A gente tem que aguardar, mas não pode ter medo", comentou.

Recife

Sobre as eleições municipais na capital pernambucana, Miguel abriu a possibilidade da legenda ter Felipe Carreras, que está em processo de sair do PSB, mas lembrou que o partido já tem um nome credenciado para a disputa. "O candidato hoje que se coloca é Raul Henry, que é pré-candidato. Mas Felipe Carreras vai sair do PSB, é um fato notório. Felipe pode ser um nome para se trazer para o MDB. Mas o nome hoje é Raul", destacou.

Miguel enumerou potenciais candidatos que estão na disputa para ser o nome da oposição no Recife. Além do próprio Carreras, citou nomes como André Ferreira (PSC), Mendonça Filho (DEM) e Clarissa Tércio, mas preferiu não antecipar essa escolha. "O momento agora não é de se escolher. É de se fazer um debate sobre a melhor proposta e depois encaixar a proposta naquele candidato ou candidata que tem a melhor chance", avaliou.

"O MDB precisava se renovar. O Brasil todo está passando por uma renovação política e se os partidos não se renovarem abrirão vácuo para outros. O MDB é um partido grande, de história por onde passou. Seja por Dr. Ulysses a Jarbas,. Baleia chegando já é um sinal de renovação. Para nós é importante, pois mostra uma sintonia do que nós queremos para o partido e também o que estamos querendo para o Brasil", comentou.

Petrolina

Miguel Coelho descartou a possibilidade de se candidatar no Recife no ano que vem e lembrou que seu foco permanece na cidade sertaneja. "Meu projeto para o próximo ano é minha eleição em Petrolina, qualquer coisa fora disso é futurologia", frisou. Em relação aos seus opositores na próxima eleição municipal, o prefeito apontou para a divergência de estratégia que eles transparecem. "Odacy (Amorim) defende que seja um candidato único, Julio (Lossio) ainda não se manifestou bem e Lucas (Ramos) quer várias candidaturas. Mas estão esquecendo de combinar entre eles isso. Pra gente, quanto mais 'bate-chapa' tiver com cabeças batendo, melhor. Não quero antecipar o debate agora, até porque temos muita coisa ainda para fazer", pontuou.

Balanço da gestão

O prefeito destacou os bons resultados obtidos por sua administração em Petrolina. 
"Estamos numa gestão, modestamente falando, bem aprovada e com 75 a 80% de aprovação. Já entregamos mais de 75% do plano de governo e a população reconhece isso. O que a gente prometeu estamos entregando. Petrolina nos últimos três anos, em todos os índices do Governo Federal e do Governo do Estado, Petrolina tem ficado ou em primeiro ou entre os três primeiros. No Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), desde 2017 Petrolina é a cidade que gera mais empregos. Esse ano estamos com um saldo positivo de quase 3 mil empregos e Pernambuco está negativo em quase 15 mil. Isso mostra bem os momentos distintos que a cidade comparada ao estado vem passando.

Entre as realizações, ele citou a entrega de 15 novos postos de saúde, as parcerias com as Fundações Maria Cecília Vidigal, Itaú e Ayrton Senna para projetos educacionais e profissionalização da primeira infância, a implantação do modelo de educação integral nas escolas do ensino fundamental da rede municipal, os investimentos em segurança, com o reforço das viaturas da Guarda Municipal que passaram de sete para 37, o que ajudou a reduzir o índice de homicídios em quase 30% e de roubos em 40%.

Ouça a entrevista de Miguel Coelho à Rádio Folha:

assuntos

comece o dia bem informado: