Lula discursa após condenação no TRF4
Lula discursa após condenação no TRF4Foto: Folhapress

Lula falou pouco mais de vinte minutos no ato na praça da República, na noite desta quarta-feira (24). Criticou a decisão do TRF-4, citou realizações do governo, Nelson Mandela e Tiradentes.

"Esse ato não é de eleição. Ele é infinitamente maior que eleição. É um ato pela soberania nacional", disse. Ele falou ainda que nunca teve nenhuma ilusão com a decisão do tribunal. "Porque houve um pacto com o poder Judiciário e imprensa, de que era hora de acabar com o PT. Eles não admitiam mais a ascensão social das pessoas em desenvolvimento."

No discurso, citou realizações do governo, como expansão do ensino o superior e do crédito e os programas Ciência Sem Fronteiras e Minha Casa Minha Vida. Segundo Lula, a decisão do TRF-4 foi baseada em mentiras.

Leia também:
Imprensa internacional destaca condenação de Lula em 2ª instância
Veja repercussão entre políticos sobre condenação de Lula em segunda instância
Gleisi Hoffmann chama julgamento de Lula de farsa
Ato na República, após condenação, insiste por candidatura de Lula à Presidência

Lula reforçou que não há provas contra ele. "Quero que eles digam qual foi o crime que cometi. Estou condenado outra vez por um apartamento que eu não tenho", afirmou. "Se me condenaram, me deem pelo menos o apartamento. Já pedi pro Guilherme Boulos mandar o pessoal dele ocupar. Já que é meu, que ocupem."

Ele disse também que a decisão é contra o povo brasileiro. "Não quero que vocês fiquem preocupados com o Lula, mas com 200 milhões de brasileiros que vivem de salário neste país. E tudo vai piorar quando aprovarem a reforma da Previdência."

No discurso, mencionou Tiradentes e Nelson Mandela. "O ser humano pode ser preso. Mandela ficou 27 anos presidente e continuou sua luta. Voltou e foi presidente."

"Mataram Tiradentes, esquartejaram seu corpo para que ninguém nunca mais pensasse em independência nesse país. Quando foram proclamar a república usaram ele como símbolo, herói nacional."

Lula disse que só vai parar de lutar quando morrer. Também convocou a militância a seguir em marcha até a avenida Paulista. Os militantes devem seguir em instantes.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: