Ministro Luiz Fux
Ministro Luiz FuxFoto: Roberto Jayme/ Ascom TSE

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, disse nesta quinta-feira (8) que haverá uma auditoria final "em tempo real" nas urnas da eleição de 2018. O trabalho será feito por amostragem e vai começar uma hora antes do início da votação.

A inspeção do software vai servir para eliminar dúvidas quanto à segurança da votação, disse Fux em sua primeira conversa com jornalistas desde que assumiu o tribunal, na terça (6). O tribunal ainda não definiu quantas urnas serão verificadas pela comissão de auditoria, que vai contar com integrantes de diversos órgãos, como Ministério Público e Policia Federal.

Leia também:
Luiz Fux é eleito para substituir Gilmar Mendes na presidência do TSE
Ministro do TSE intima Globo, Huck e Faustão a prestar esclarecimentos


A medida foi definida depois que a empresa vencedora da licitação para imprimir votos falhou nos testes, na semana passada. Sobre o voto impresso, Fux disse que é preciso esperar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). A Procuradoria-Geral da República (PGR) entrou com ação pedindo a inconstitucionalidade do artigo de lei que determina o voto impresso, aprovada em 2015 na minirreforma eleitoral.

De acordo com a PGR, o TSE deve adotar "medidas necessárias para a implementação do modelo impresso associado ao modelo eletrônico, entre as quais se evidenciam a necessidade de estudos para a adequação da mudança, a realização de licitação para compra das impressoras e dotação de recursos para essa finalidade". A relatoria do caso está com o ministro Gilmar Mendes.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: