Roberto Magalhães
Roberto MagalhãesFoto: Folha de Pernambuco

Com excesso de aliados interessados em disputar uma vaga de senador na sua chapa, o governador Paulo Câmara encarregou-se logo de segurar a ansiedade dessa tropa dizendo que só pretende anunciar a chapa majoritária da Frente Popular em meados do mês de agosto. Essa tática política está correta, pois não é o governo que deve se antecipar no anúncio da chapa, e sim a oposição. Ao governo cabe governar, segurar as alianças que já tem, dividindo com elas espaços de poder. E se possível agregar novas forças tal como o governador está fazendo em relação ao PT e ao PSC, tentando atraí-las para o seu palanque.

Leia também:
Compasso de espera: nem governo nem oposição têm chapas fechadas


Como dizia Roberto Magalhães quando estava à frente do Palácio das Princesas, é melhor ter aliados “de mais” do que “de menos’’ porque votos não se rejeitam, venham de onde vierem. A oposição é quem tem obrigação de pôr seu bloco na rua o quanto antes para explorar a agenda negativa do governo, apresentar suas propostas administrativas e tentar massificá-las o mais rápido possível. Se o governo está governando e mantém sua base política sob total e absoluto controle, pra que antecipar o calendário eleitoral? Isso é tarefa da oposição, que ainda não apresentou a sua chapa, presume-se, porque não há acerto interno sobre “quem” deve disputar o “quê”.

Dor de consciência
Tudo bem que organizações criminosas geralmente só são descobertas quando algum dos seus membros “delata” companheiros. Mas o preço que os “delatores” pagam por isto normalmente é incômodo: isolamento, dor de consciência, arrependimento, etc. Palocci, por exemplo, como será que se sente, internamente, tendo delatado dois ex-presidentes que o fizeram ministro?

Água na fonte > “Pai’ da barragem de Jucazinho, construída no governo de FHC por insistência sua, o deputado Tony Gel (MDB) teve uma ótima notícia neste final de semana. O reservatório, que estava totalmente seco, acumulou 8 milhões de metros cúbicos d’água nos últimos 30 dias.

Esforço dobrado > Kaio Maniçoba (PROS) elegeu-se deputado federal em 2014 com 31 mil votos pela coligação PHS-PSL. Passou uma chuva no MDB antes de pousar no PROS. E agora vai precisar de pelo menos 100 mil votos para garantir a reeleição, mas está bem na fita.

O mito > A maior prova de que Lula é “mito” em Pernambuco foi o congresso da UVP que se realizou em Belo Jardim no último final de semana. Ao explicar, didaticamente, porque Lula teria sido condenado, “sem provas”, o deputado Sílvio Costa (Avante) foi aplaudido de pé.

A renovação > Pelas contas dos “experts”, 23 dos 49 deputados estaduais pernambucanos não serão reeleitos. Um (Eriberto Medeiros, do PP) vai disputar mandato de deputado federal, donde se deduz que a taxa de renovação naquela Casa seria da ordem de 50%.

O calendário > Se a última resolução do PT for respeitada, no próximo dia 5 serão definidos os nomes de sua futura chapa majoritária para serem anunciados no dia 13. O partido está no campo da oposição a Paulo Câmara, mas não mantém qualquer diálogo, o que é estranho, com a Frente das Oposições capitaneada pelo PTB.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: