Rogério Arantes (E), quando foi empossado pelo presidente do Incra, Leonardo Góes.
Rogério Arantes (E), quando foi empossado pelo presidente do Incra, Leonardo Góes.Foto: Reprodução/Site Incra

Investigado na Operação Registro Espúrio, que mira fraudes e corrupção no Ministério do Trabalho, o diretor do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) Rogério Arantes se entregou na manhã desta sexta-feira (1º) à Polícia Federal em Brasília.

Ele é sobrinho do deputado federal Jovair Arantes (PTB-GO), também alvo da investigação, que aponta pagamento de propina em troca da liberação de registros sindicais pela pasta. Rogério tinha um mandado de prisão preventiva decretado contra si, mas estava em viagem oficial ao Maranhão e negociou sua entrega.

Leia também:
PF cumpre mandados contra três deputados federais
Em gravação, sobrinho de deputado dá aval a propina e promete ajuda em ministério


Como mostrou a reportagem nesta quinta (31), o diretor do Incra foi gravado dando aval ao pagamento de R$ 4 milhões para facilitar a oficialização de um sindicato de Goiás.

Na conversa, ocorrida num hotel em Brasília, no ano passado, ele oferece ajuda nos trâmites para uma lobista e um representante sindical.

A PF negocia agora a entrega de outro sobrinho de Jovair, o secretário executivo do ministério, Leonardo Arantes, também com prisão preventiva decretada.

Ele está em missão oficial em Londres e, segundo pessoas com acesso às investigações, deve se apresentar na manhã de sábado (2) à PF, no retorno da viagem.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: