O juiz Sérgio Moro afirmou que Lula não terá privilégios em relação às visitas
O juiz Sérgio Moro afirmou que Lula não terá privilégios em relação às visitasFoto: Divulgação

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, negou nesta quarta (25) mais um recuso no qual ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por meio de seus advogados, pediu que o juiz federal Sérgio Moro seja considerado suspeito julgá-lo na Operação Lava Jato.

Antes dessa decisão, o tribunal já havia indeferido habeas corpus protocolado pela defesa de Lula que alegava parcialidade de Moro.

Leia também:
Imprensa questiona juiz por férias longas e por trabalhar durante elas, diz Moro
Lula só terá chance de sair da cadeia se assumirmos o poder, diz Ciro


Em outros casos julgados, o TRF4 também entendeu que eventuais manifestações do magistrado em textos jurídicos ou palestras de natureza acadêmica sobre corrupção não levariam ao reconhecimento de sua suspeição para julgar os respectivos procedimentos.

O ex-presidente está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Lula foi preso após ter sua condenação a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá (SP) confirmada pela segunda instância da Justiça Federal, conforme autorizado pelo STF.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: