Imagem de inscrição com discurso de ódio circula no WhatsApp
Imagem de inscrição com discurso de ódio circula no WhatsAppFoto: Reprodução

Centro de Artes e Comunicação (CAC), da Universidade Federal de Pernambuco, foi alvo de pichação nesta terça-feira (16) em um dos banheiros femininos da unidade localizada no campus universitário do Recife . Ao lado de uma suástica nazista, a frase “Vocês vão morrer p***”, feita em lápis piloto na parede interna do toalete, soa em consonância com inúmeras ações criminosas que têm acontecido no Brasil desde o fim do primeiro turno das eleições presidenciais de 2018. Após tomar conhecimento via redes sociais, a diretoria do CAC deu ordem para que limpassem o registro.

Na última segunda-feira (15), a UFPE emitiu nota no site oficial da universidade, reproduzido em suas principais redes sociais, sobre o atual cenário político do país, em resposta a tumultos ocorridos no espaço acadêmico ao longo da última semana. “Afirmamos nossa posição intransigente a favor do respeito à diversidade em todos seus aspectos, contra as pregações de violência e de intolerância e, acima de tudo, de defesa dos direitos humanos, da liberdade e da democracia”, conclui texto assinado pelo reitor, Anísio Brasileiro, e a vice-reitora, Florisbela Campos.

Leia também:
Filme "conservadorista" causa tumulto entre alunos e professor na UFPE
Paula Guerra, mais uma vítima do ódio nas eleições
Jovem usou camisa do "Ele Não" e foi marcada por suástica feita com canivete
Estagiário da Folha de Pernambuco é agredido no Bairro do Recife


Nos comentários da publicação da UFPE no Facebook, a usuária Camila Albt escreveu "Agora chega no Departamento de Humanas e refuta Marx, a pessoa sai espancada. Esta Universidade pode ser tudo, menos plural". "Pelo contrário, no CCSA saiu o Movimento Desocupe, o CTG também foi contrário. Cada curso tem uma 'tendência' política e professor algum controla o que alunos adultos pensam", rebateu outro usuário Olívio Neto.

O evento "CAC contra o facismo e pela democracia" está marcado para a próxima quinta-feira (18), às 15h, no Centro de Artes e Comunicação e também está sendo divulgado na rede social. 352 pessoas confirmaram presença até a publicação deste texto. Mil internautas marcaram como interessados.

Tumulto
Na última quinta-feira no Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), também da UFPE, houve tumulto envolvendo o professor de filosofia Rodrigo Jungmann, alunos pró-Haddad e bolsonaristas. Após exibição do filme "Bonifácio - O Fundador do Brasil", que mostra a vida de José Bonifácio de Andrada e Silva e é baseado em obra do filósofo Olavo de Carvalho, “alunos que foram para a exibição do filme estavam vestidos com a camisa de Jair Bolsonaro e foram hostilizadas na saída por alunos de 'esquerda'”, declarou o professor.

Vídeos em que o professor filmava a ação circularam também nas redes sociais. Nas imagens, alunos gritam “fascista”. Segundo Rodrigo Jungmann, alguém tentou cuspi-lo, mas não acertou. Jungmann suspendeu as aulas do dia e foi escoltado até em casa por seguranças da universidade. Outros professores também suspenderam as aulas.

Confira, na íntegra, a nota divulgada pela UFPE na última segunda-feira (15):

Em defesa da universidade pública e da democracia

Com a proximidade do segundo turno das eleições presidenciais de 2018 e atenta ao desenrolar da campanha, a Universidade Federal de Pernambuco considera urgente manifestar-se em defesa da universidade pública e em repúdio a todas as formas de ameaça às liberdades democráticas.

Ciente do seu papel histórico, a UFPE se posiciona por uma universidade que, além de gratuita e de qualidade, seja autônoma e socialmente referenciada. É a universidade pública que tem garantido os principais avanços do nosso país na ciência, na tecnologia, na inovação e nas artes. Os brasileiros devem abraçar ideias que defendam uma nação inclusiva, justa, capaz de superar os desequilíbrios regionais.

Nessa perspectiva, afirmamos nossa posição intransigente a favor do respeito à diversidade em todos os seus aspectos (de gênero, de livre orientação sexual, de identidade étnica e cultural), contra as pregações de violência e de intolerância e, acima de tudo, de defesa dos direitos humanos, da liberdade e da democracia.

Reitor Anísio Brasileiro
Vice-reitora Florisbela Campos

veja também

comentários

comece o dia bem informado: