Ministro da educação, Ricardo Vélez Rodriguez
Ministro da educação, Ricardo Vélez RodriguezFoto: Luis Fortes/MEC

O ministro Ricardo Vélez Rodríguez exonerou nesta sexta-feira (11) Rogério Fernando Lot, responsável por assinar uma mudança em edital que permitiria a aquisição de obras com erros de impressão e propaganda. De acordo com edição desta sexta do Diário Oficial da União, Lot foi exonerado de um cargo comissionado de chefia de gabinete do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento à Educação).

O servidor não era uma indicação da gestão de Bolsonaro. Vélez escolheu Carlos Alberto Decotelli para presidir o FNDE, mas ainda aguarda ser nomeado para assumir o cargo. Já Lot foi nomeado para a chefia de gabinete do órgão em janeiro de 2017, durante o governo de Michel Temer (MDB), pelo então ministro da Educação Mendonça Filho. Ainda no governo Temer, ele atuou como presidente substituto do órgão.

Leia também:
Ministro diz que vai anular mudança em edital de compra de livros
Governo muda edital de livros e abre margem para erros
Bolsonaro retira violência contra mulher e quilombo de edital de livros escolares


A publicação de um edital no último dia 2, que poderia permitir a aprovação de livros escolares sem qualidade, gerou polêmica e um recuo do governo Bolsonaro, que revogou o ato. Vélez culpou a gestão anterior pela alteração e o ex-ministro Rossieli Soares também negou ter responsabilidade sobre o caso.

A exoneração de Lot foi publicada junto a de outros servidores que ocupavam cargos comissionados no MEC. A equipe escolhida por Vélez ainda aguarda ser nomeada no Diário Oficial.

Como mostrou a Folha de S.Paulo, a exoneração de 320 servidores de cargos comissionados na Casa Civil, anunciada pelo titular da pasta, Onyx Lorenzoni, tem atrasado nomeações do governo. Onyx divulgou no primeiro dia de trabalho que iria "despetizar" o ministério e, por isso, decidiu demitir todos que foram nomeados em gestões anteriores.

veja também

comentários

colabore com a folha

comece o dia bem informado: