Comercial do Banco do Brasil
Comercial do Banco do BrasilFoto: Reprodução

Uma propaganda do Banco do Brasil que retratava jovens brancos, negros, de cabelos pintados, com tatuagens e celebrava a diversidade foi retirado do ar depois de uma interferência direta do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Após a polêmica, a influencer Alcione Alves, conhecida como “rainha das narrações”, divulgou o vídeo - que foi censurado - regravado com a voz dela no Instagram. Todo o comercial do Banco do Brasil traz elementos da narração de Alcione, como “faz carão”, “papada negativa do alto”, “biquinho de vem cá me beijar”, “quebrada de pescoço pro lado”, e “tá de parabéns abrindo essa conta”.

De acordo com a assessoria, o vídeo divulgado nas redes sociais por Alcione foi uma brincadeira com o intuito de apoiar a diversidade exposta na propaganda. “Alcione não faz parte de campanha nenhuma. Ela fez por vontade própria. Gostou do vídeo e regravou com a própria voz em apoio à campanha da diversidade”. A assessoria também afirmou que, apesar de não participar da propaganda, Alcione foi procurada pela agência antes da polêmica, e fechou um contrato pelos direitos autorais. Vários artistas comentaram o vídeo de Alcione, entre eles, a cozinheira Paola Carosella, o ator e ex-BBB Matheus Lisboa, o vocalista da banda Psirico Márcio Victor e a apresentadora Astrid Fontenelle.

Leia também:

Guedes define Rubem Novaes no Banco do Brasil

Governo determina que estatais submetam propagandas a análise do Planalto

Bolsonaro diz que não permitirá propaganda de estatal que não siga sua linha

O comercial já estava sendo veiculado na televisão desde 31 de março em todo o País. Segundo o Banco do Brasil, a ideia era aproximar novas gerações, potenciais clientes. Mas o presidente Jair Bolsonaro não gostou do conteúdo campanha.

Ele ligou para o presidente do banco, Rubem Novaes, que diz ter "concordado" com a sugestão de derrubar a peça publicitária. Depois de vetar a propaganda do Banco do Brasil, o Governo Federal chegou a anunciar que todas as campanhas publicitárias dos ministérios e das estatais precisariam de aprovação do Palácio do Planalto. No entanto, em seguida, voltou atrás na decisão.

Assista abaixo a propaganda retirada do ar:

comece o dia bem informado: