Luiz Inácio Lula da Silva
Luiz Inácio Lula da SilvaFoto: CARL DE SOUZA / AFP

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode vir ao Recife no próximo domingo (17) participar do Festival Lula Livre, que aconteceria no Cais da Alfândega, no Bairro do Recife, passará a ser realizado no Pátio do Carmo, área central da capital pernambucana.
A mudança aconteceu pois com a presença do ex-presidente o público deverá ser muito maior. Essa será a primeira viagem de Lula no Nordeste após deixar a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba na última sexta-feira (8). A iniciativa faz parte da estratégia nacional do PT, que visa a levar o ex-presidente a rodar o País.

O Festival Lula Livre, previsto para vários estados do Brasil durante os próximos meses, reúne, neste domingo, atrações como Mundo Livre AS, Otto, Odair José e Marcelo Jeneci. A programação, que conta ainda com a presença de intelectuais e movimentos sociais, começa a partir das 12h, no Cais da Alfândega.

Leia também:
STF enfrentará ação sobre Flávio Bolsonaro depois de decisão que soltou Lula
No Recife, título de cidadão para Lula será protocolado na segunda
Lula se refere a Bolsonaro como miliciano e diz estar de volta para lutar


A possível vinda do ex-presidente Lula acontece na semana em que está sendo protocolada na Câmara de Vereadores da capital pernambucana a proposta, de autoria do vereador e ex-prefeito João da Costa (PT), para que o ex-presidente receba o Título de Cidadão do Recife. A expectativa é de que a proposta seja protocolada ainda nesta segunda (11). Para que seja aprovada, é preciso o voto da maioria simples na Casa.

A reportagem da Folha de Pernambuco entrou em contato com a assessoria do ex-presidente, que relatou a possibilidade da vinda dele ao Recife, mas não confirmou oficialmente.

Após 580 dias encarcerado, o ex-presidente Lula deixou a prisão sexta-feira (8), um dia depois de o Supremo Tribunal Federal (STF), por seis votos a cinco, decidir que um condenado só pode ser preso após o trânsito em julgado, alterando, assim, o entendimento vigente desde 2016, que permitia prisão após condenação em segunda instância.

lula

assuntos

comece o dia bem informado: