Moro, Bolsonaro e Damares no jogo do Flamengo
Moro, Bolsonaro e Damares no jogo do FlamengoFoto: Carolina Antunes/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) levou na manhã deste domingo (16) seus dois ministros mais populares, Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), para o camarote do estádio Mané Garrincha, em Brasília, onde o Flamengo venceu o Athletico-PR por 3 a 0 para sagrar-se campeão da Supercopa do Brasil.

Gabigol foi o destaque em campo. Deu a assistência para Bruno Henrique abrir o placar, antes de ampliar o marcador, tudo no primeiro tempo. O uruguaio Arrascaeta anotou o terceiro.

Habitual frequentador de estádios desde que tornou-se presidente, Bolsonaro foi com Moro ao futebol pela primeira vez em junho do ano passado, também em um jogo do Flamengo, três dias após virem à tona diálogos que levantaram suspeita sobre a imparcialidade do ex-juiz nos julgamentos da Lava Jato.

Leia também:
Miliciano morto 'era um herói' quando foi homenageado, diz Bolsonaro
Maduro acusa Bolsonaro de arrastar Brasil para 'conflito armado'

Na ocasião, Moro trajava terno e gravata e, por sugestão de Bolsonaro, chegou a vestir um uniforme do Flamengo que recebeu de um torcedor. Neste domingo, estava mais à vontade, de camisa social com as mangas dobradas. Em seu perfil no Twitter, o ministro publicou, durante o jogo, uma foto sua no estádio, dizendo que estava "torcendo para o rubro-negro".

Tanto Athletico quanto Flamengo têm as cores vermelha e preta. Moro nasceu em Maringá e já foi visto na arquibancada de estádios em jogos do time paranaense, mas faz mistério sobre o clube que torce. Bolsonaro é palmeirense.

Estavam também no camarote outros três ministros: Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura) e Jorge Oliveira (Secretaria-Geral), bem como o vice-presidente Hamilton Mourão e o chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência, Fabio Wanjgarten.

Não houve vaias nem aplausos significativos direcionados à comitiva dos políticos. Em um dos pontos da arquibancada havia faixa com a imagem da vereadora Marielle Franco, do PSOL, que era torcedora do Flamengo e foi assassinada em 2018.

A Folha de S.Paulo questionou a Presidência e a CBF sobre quem bancou os ingressos de Bolsonaro e seus convidados, mas ainda não obteve resposta. Mais de 48 mil pagantes compareceram ao estádio. Campeão, o Flamengo receberá R$ 5 milhões em premiação. O vice ficará com R$ 2 mi.

Em 2020, a Supercopa voltou ao calendário do futebol brasileiro após quase 30 anos –antes, havia sido disputado duas vezes, em 1990 e 1991. O torneio é disputado entre o campeão do Brasileiro do ano anterior (no caso, os cariocas), e o da Copa do Brasil (os paranaenses).

Neste domingo de forte calor em Brasília, o Flamengo dominou o jogo, marcando sob pressão e deixando pouco espaço para seu adversário. O Athletico, menos entrosado, apostou nos contra-ataques e pouco incomodou.

De 2019 para cá, os paranaenses perderam atletas importantes, como o zagueiro Léo Pereira, o volante Bruno Guimarães e os atacantes Marcelo Cirino e Marco Ruben. Além disso, a partida em Brasília foi apenas a segunda dos titulares em 2020.

O time também trocou de treinador. Dorival Júnior assumiu o posto de Tiago Nunes, que foi para o Corinthians. O Flamengo, por sua vez, manteve a base do time campeão brasileiro e da Libertadores de 2019. A única saída, entre os titulares, foi a do zagueiro Pablo Marí.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: