Jair Bolsonaro
Jair BolsonaroFoto: Marcos Corrêa / PR

Após a notícia de que o presidente Jair Bolsonaro compartilhou por WhatsApp vídeo convocando a população para atos anti-Congresso no dia 15 de março, diversos políticos de Pernambuco se posicionaram sobre o assunto. Os atos foram marcados por apoiadores do presidente em defesa do governo, dos militares e contra o Congresso. A mobilização cresceu na semana passada, quando o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, atacou parlamentares, acusando-os de fazer “chantagem”.

"Defender a Democracia é aprofundar o diálogo, conviver com as diferenças, construir soluções com o debate de ideias, não o confronto. Tentar provocar a população para manifestações contra instituições democráticas é um desrespeito ao país. Governar é abrir caminhos, não abismos. Seguiremos firmes, fortalecendo os valores que fazem do Brasil uma nação que não vai escolher o retrocesso e a repetição de erros. Nosso país quer avançar", tuitou o governador Paulo Câmara (PSB).

gov

Crédito: Reprodução / Twitter

luciana

Crédito: Reprodução / Twitter



A vice-governadora Luciana Santos (PCdoB) também se posicionou em seu perfil do Twitter. "A atitude mais recente do presidente jair Bolsonaro, é a demostração cabal do seu desrespeito pelas instituições e pelo Estado Democrático de Direito. Nesta hora é preciso contundência e serenidade. As forças vivas no Brasil, independente de sua matriz ideológica, devem se mobilizar repudiando estás atitudes do presidente", criticou.

A bancada de Pernambuco na Cãmara federal se posicionou em bloco contra o apoio do presidente ao ato. A deputada federal Marília Arraes também comentou a atitude do presidente da República. "É mais uma vez o comportamento perigoso de quem não preza pela Democracia, não respeita as instituições e, sobretudo, a Constituição. Congresso e Judiciário têm que tomar atitudes concretas contra esse atentado à democracia. Se nos calarmos, seremos cúmplices", postou.

"Todos sabem que manifestações de 15/3 são contra Congresso e STF. Hoje, o presidente da república, divulgou vídeo convocando para essas manifestações. Trata-se de claro enquadramento no Art.85 da Constituição, ou seja, crime de responsabilidade! A Democracia está sendo atacada!", criticou o deputado federal Wolney Queiroz (PDT)

"Repudiamos qualquer manifestação contra a Democracia ! Toda manifestação é legítima, é importante! Entretanto, o momento exige unidade para tirarmos o Brasil desse momento desafiador do ponto de vista econômico. A intolerância, o desrespeito, a busca pelo retrocesso Democrático, infelizmente, esse é o Pior caminho. Não é fragilizando as instituições que vamos sair da crise econômica e construir um País mais justo e solidário!", escreveu Silvio Costa Filho.

"Nenhuma instituição do Estado brasileiro está imune às críticas do povo. Faz parte das regras da democracia. Mas , ao incitar atos de caráter autoritário, o Presidente atenta contra a Constituição Federal. Reação deve ser de todos, independente de partidos", postou o deputado federal Danilo Cabral (PSB).

"Jair Bolsonaro demonstra, mais uma vez, que não é digno do cargo que exerce. Um presidente que hostiliza os Poderes da República e a Constituição. Um homem não respeita a Democracia. #ImpeachmentDeBolsonaro", tuitou o deputado federal João Campos (PSB).

Em um dos seus últimos atos como presidente da bancada do PSB na Câmara Federal, o deputado Tadeu Alencar também se posicionou sobre o assunto. "É extremamente grave a atitude do presidente da República ao compartilhar, em redesocial, uma mensagem de grupos extremistas que pregam - em manifesta afronta à Constituição - o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal. Ao se permitir tamanho ataque à Democracia, que não prescinde do funcionamento independente e harmônico dos Poderes, o Presidente Bolsonaro demonstra um desprezo pelas instituições que não pode passar em vão. É necessário enérgica resposta do parlamento, da Suprema Corte mas, em especial, da sociedade, que há muito tem minimizado os arroubos autoritários de quem jurou, mas esqueceu rápido, defender a ordem democrática. Se claudica nesse dever fundamental deve ser chamado à responsabilidade. O Presidente brinca com fogo; os democratas de todos os colores não devemos permiti-lo, sob pena de grave omissão histórica", disse.



wolney

Crédito: Reprodução / Twitter

wolney

Crédito: Reprodução / Twitter

João Campos

Crédito: Reprodução / Twitter

danilo

Crédito: Reprodução / Twitter

tadeu

Crédito: Reprodução / Twitter

silvinho

Crédito: Reprodução / Twitter



Senado

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, postou duras críticas ao presidente. "O ministro mais antigo do STF resumiu o sentimento de repúdio do país inteiro sobre a conclamação de Bolsonaro a um ato contra a corte e o Congresso. “Isso revela a face sombria de um presidente da República que desconhece o valor da ordem constitucional”. Bolsonaro ignora o sentido fundamental da separação de Poderes, que demonstra uma visão indigna de quem não está à altura do cargo e cujo ato de inequívoca hostilidade traduz gesto de ominoso desapreço e de inaceitável degradação do princípio democrático! O golpe de @jairbolsonaro já está acontecendo e só não vê quem não quer. A hora de lutar pela democracia é agora!"


Alepe


A deputada estadual Teresa Leitão (PT) também criticou o presidente Jair Bolsonaro. "Bolsonaro desrespeita frontalmente a Constituição e quer outro golpe!! Desta vez,com apoio explícito das Forças Armadas! #DitaduraNuncaMais", postou.

humberto

Crédito: Reprodução / Twitter

teresa

Crédito: Reprodução / Twitter


assuntos

comece o dia bem informado: