Ato em apoio a Bolsonaro e contra o Congresso, na avenida Boa Viagem
Ato em apoio a Bolsonaro e contra o Congresso, na avenida Boa ViagemFoto: Leo Malafaia / Folha de Pernambuco

Apesar da recomendação das autoridades sanitárias para que as pessoas evitem aglomerações por causa da pandemia do novo coronavírus, milhares de pessoas foram ontem à avenida Boa Viagem, na Zona Sul, em um ato de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, com críticas ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal. Grande parte dos manifestantes usavam máscaras para proteger o rosto durante a manifestação que saiu do entorno da Padaria Boa Viagem até o Segundo Jardim. Segundo policiais militares que acompanharam o protesto, o ato da Capital pernambucana reuniu cerca de 4 mil mil pessoas. Protestos similares ocorreram em várias das principais cidades do País.

No Recife, uma das principais pautas eram as críticas ao PLN 4, que trata do orçamento impositivo e transfere para o Parlamento o controle de R$ 15 bilhões. As faixas e cartazes, porém, defendiam temas que iam desde a prisão após condenação em segunda instância, até críticas aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM). Alguns grupos pregavam a intervenção militar como medida para combater a corrupção. Além do tradicional verde e amarelo, haviam bandeiras de Israel e dos Estados Unidos.

Em um misto de proteção e crítica às recomendações para evitar aglomerações, muitos manifestantes usavam máscaras ou lenços para cobrir o rosto e o nariz.
Outros tomavam medidas para evitar um possível contágio. Foi o caso do representante comercial Michael Macedo, de 33 anos. "Eu conheço várias pessoas que estão participando hoje aqui dessa caminhada. A gente não se abraçou, não pegamos nas mãos e estamos evitando falar muito próximos. A gente também está usando álcool em gel, tomando medidas para nos proteger", explicou. Segundo Michael, o fato de Pernambuco ainda ter poucos casos, e não uma epidemia alastrada como no Rio e São Paulo, deu mais segurança para que as pessoas fossem às ruas. "A democracia exige da gente coragem", diz.

Para o administrador de empresas Rozemberg Milito, de 65 anos, o protesto era para defender o fim da corrupção e para apoiar o governo no enfrentamento contra a esquerda. "Nós não temos como tomar muito cuidado em um evento como este. Sabemos do risco. Mas achamos que não vai ser o coronavírus que vai fazer com que os verdadeiros brasileiros deixem de vir para a rua", justificou.

Segundo a Delegacia de Boa Viagem, um manifestante foi detido após o fim do ato. O grupo Direita Pernambuco identificou o manifestante como sendo o estudante de Economia Diego Ketriri, que foi detido por ser uma "liderança da manifestação". Um decreto do Governo de Pernambuco proíbe a realização de eventos com mais de 500 pessoas por causa do coronavírus. Numa rede social, Ketriri, que é presidente do grupo Bolsonaro PE, postou um vídeo ao lado de um advogado. "Galera, estou aqui na delegacia. Mas para tranquilizar vocês que está tudo bem", ele fala.

Referências ao coronavírus não faltarão, assim como homenagens aos EUA e a Trump

Referências ao coronavírus não faltarão, assim como homenagens aos EUA e a Trump - Crédito: Leo Malafaia / Folha de Pernambuco

assuntos

comece o dia bem informado: