Se o aumento for aprovado, o salário dos ministros passará de R$ 33 para R$ 39 mil
Se o aumento for aprovado, o salário dos ministros passará de R$ 33 para R$ 39 milFoto: José Cruz/Agência Brasil

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou na manhã desta quarta-feira (7) que não é o momento de reajustar o salário do Poder Judiciário e que vê a proposta com preocupação. "Obviamente não é o momento. Nós estamos terminando um ano com déficit, vamos começar o outro ano com déficit", afirmou ao deixar um encontro com o comando da Aeronáutica, em Brasília.

"Acho que estamos numa fase onde todo mundo tem ou ninguém tem. Nós sabemos que o Judiciário é o mais bem aquinhoado entre os Poderes. A gente vê com preocupação [a proposta de reajuste]", disse.

O jornal Folha de S.Paulo revelou nesta quarta que o presidente do Senado, Eunício Oliveira, incluiu na pauta da Casa projetos de lei que aumentam o salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de R$ 33 mil para R$ 39 mil, mesmo valor que seria estabelecido para o cargo de procurador-geral da República.



Leia também:
Senado vota de surpresa pauta de aumento para o STF
Fachin envia novo pedido de habeas corpus de Lula para 2ª Turma do STF
Toffoli se diz otimista com Brasil e diz que protagonismo deve sair do Judiciário
Bolsonaro e Temer terão encontro para iniciar transição
Endurecimento da lei antiterrorismo tem votação adiada no Senado


A proposta, que já tinha sido aprovada na Câmara dos Deputados, estava parada na Comissão de Assuntos Econômicos desde 2016. Na noite de terça (6), Eunício colocou em votação no fim da sessão do plenário um requerimento pedindo a inclusão dos dois projetos na pauta do Senado ainda nesta quarta. A iniciativa de Oliveira pegou de surpresa e contrariou vários senadores.

Bolsonaro, que esteve na véspera com o presidente do Senado, disse não ter sido avisado sobre a inclusão do projeto em pauta. Ele criticou a medida, dizendo que "todos estão no mesmo barco". "Eu falei para o Toffoli [Dias Toffoli, presidente do STF] ontem que existe um Poder só e o que está em jogo é o futuro do Brasil. Estamos aqui em uma profunda crise ética, moral e econômica. E a responsabilidade tem que ser dividida por todos", afirmou.

O presidente eleito disse ainda que tem de vir de todos a colaboração para que o Brasil saia da crise. "O Poder Judiciário, no meu entender, em um gesto de grandeza, com toda a certeza não fará tanta pressão assim por esse aumento de despesa agora no meu entender." Os reajustes podem levar a um aumento cascata para juízes, procuradores, promotores e parlamentares de todo o país, no que seria a primeira pauta-bomba armada para o governo Bolsonaro.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: