A terceira fase já foi iniciada e deve ser concluída em 120 dias. Investimento total chega a R$ 15 milhões
A terceira fase já foi iniciada e deve ser concluída em 120 dias. Investimento total chega a R$ 15 milhõesFoto: Andréa Rêgo Barros/ PCR

O prefeito Geraldo Julio (PSB) vistoriou as obras que estão em ritmo acelerado, nesta quarta-feira (11). Com um investimento total de R$ 15 milhões, a requalificação tem previsão de conclusão em novembro do próximo ano. Agora com floreiras, novas paradas de ônibus, bicicletários, papeleiras e calçadas alargadas, a Avenida Conde da Boa Vista, principal corredor de ônibus e de pedestres da cidade está ganhando nova forma, mais humana, com prioridade para pedestres e transporte público.

“Acabamos de fazer uma vistoria pudemos ver muitas modificações importantes, sobretudo para melhorar a situação do pedestre. Todo o projeto urbanístico foi pensado para priorizar as centenas de milhares de pessoas que passam por aqui todos os dias, desde os cruzamentos e travessias que foram mudados, diminuindo assim o tempo de percurso das vias, as novas paradas de ônibus, os bicicletários e todo o mobiliário”, destacou Geraldo.

Os usuários da Avenida Conde da Boa Vista já podem ver as mudanças implementadas pelo projeto. Nos trechos contemplados pelas duas etapas já executadas da obra, estão 38 novas floreiras, 15 papeleiras, dois bicicletários, oito novas paradas de ônibus com o total de 35 módulos.

O momento também serviu para vistoriar a implantação de um modelo dos quiosques que serão utilizados ao longo da via. Os novos equipamentos fazem parte de um mobiliário urbano mais adequado à comercialização de mercadorias nas calçadas, desenvolvido em conjunto com os comerciantes informais, como prevê o projeto da Nova Conde da Boa Vista.

Dessa forma, a via poderá contar com um comércio mais organizado, limpo e atrativo, tanto para os clientes transeuntes quanto para os próprios comerciantes, além de assegurar a adequada acessibilidade dos pedestres ao longo da via. A finalidade é o ordenamento do comércio popular, proporcionando condições dignas de trabalho e economicamente rentáveis para as famílias que sobrevivem dessa atividade na via.

Para Cid Lôbo Mendonça, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife (CDL), que acompanhou as vistorias do local, a revitalização da avenida vai servir de incentivo para que mais pessoas venham consumir no centro. “Em todo o centro da cidade circulam mais de 700 mil pessoas por dia, por isso, a importância do pedestre ser o foco dessas melhorias. O prefeito está de parabéns, não só pelo olhar para a Boa Vista, como também para o ordenamento do Mercado São José, o controle do comércio informal, a recuperação das calçadas”, pontuou o presidente.

Ao todo a intervenção foi dividida em seis fases, separadas em duas frentes de obra. Já foram beneficiados os trechos compreendidos entre a Rua da Aurora e a Rua do Hospício; Rua do Hospício e a Rua Gervásio Pires; Rua Gervásio Pires e a Rua José de Alencar; e Rua José de Alencar e a Rua da Soledade (trecho Norte).

A já iniciada terceira fase contempla os trechos entre a Rua José de Alencar e a Rua da Soledade (Sul); Rua da Soledade e a Rua das Ninfas; e Rua das Ninfas a Rua Oswaldo Cruz.

O projeto – A Prefeitura do Recife propôs um projeto arrojado para a Avenida Conde da Boa Vista, principal corredor de transporte coletivo e circulação de pedestres da cidade. As obras foram iniciadas em março deste ano. O objetivo é humanizar e priorizar a circulação de pessoas na via. A Conde da Boa Vista tem 1,6 km de extensão e conecta o centro da cidade às zonas Norte e Oeste.

O projeto inclui iluminação em LED – com postes específicos para os pedestres; canteiro central ajardinado e floreiras nas calçadas; 90 árvores estão sendo plantadas; as calçadas terão, ao todo, mais de 2.000m² de ampliação com esquinas alongadas; as paradas de ônibus instaladas nas calçadas são mais modernas e confortáveis. Duas estações de BRT serão construídas no canteiro central.

A nova Conde da Boa Vista está recebendo ainda bicicletários e os quiosques para o comércio informal, desenvolvido em conjunto com os ambulantes. Rampas e pisos acessíveis, além de nova sinalização nas travessias dos pedestres – também com piso elevado; ilhas de travessia; mais lixeiras e nova programação semafórica, com foco também nos pedestres. Os que caminham na via, inclusive, vão ter mais oportunidades de atravessar com segurança. Hoje, eles têm cinco locais voltados para esse fim e, com o projeto, passarão a ter 13.

Avenida Conde da Boa Vista ganhou um bicicletário

Avenida Conde da Boa Vista ganhou um bicicletário - Crédito: Andréa Rêgo Barros/ PCR

comece o dia bem informado: