Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE)
Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE)Foto: Arquivo/Folha de Pernambuco

Em sessão plenária realizada nesta segunda-feira (27), a Corte do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) indicou, por aclamação, os desembargadores eleitorais Ruy Trezena Patu Júnior e José Alberto de Barros Freitas Filho como diretor e vice-diretor, respectivamente, da Escola Judiciária Eleitoral. Os magistrados ficarão à frente da EJE durante um período de dois anos.

Na oportunidade, todos os integrantes do órgão colegiado fizeram questão de enaltecer o brilhante trabalho desenvolvido pelo desembargador eleitoral Delmiro Campos e pelo juiz José Raimundo dos Santos Costa, durante o período em que dirigiram a Escola Eleitoral.

O presidente do TRE-PE, desembargador Frederico Neves, último a falar, disse que “o desembargador Delmiro Campos é um dos mais atuais e atuantes juristas eleitorais de Pernambuco, quiçá do Brasil, tendo desempenhado um trabalho digno de todos os elogios na direção da Escola Judiciária Eleitoral de Pernambuco.”

O Presidente Frederico Neves também destacou “o altíssimo porte intelectual dos novos dirigentes eleitos”, afirmando que “os desembargadores eleitorais Ruy Patu e José Alberto estão devidamente apetrechados para o exercício das novas funções”.

A Escola Judiciária Eleitoral de Pernambuco foi criada através da Resolução nº 44, aprovada em sessão do TRE, em 10 de dezembro de 2003, com a finalidade de capacitar, treinar e aperfeiçoar, em matéria eleitoral, magistrados e servidores da Justiça Eleitoral, visando à melhoria da qualidade da prestação jurisdicional. A EJE também é um importante elo entre o Tribunal e a sociedade.

Um de seus principais programas é o Eleitor do Futuro, que, entre outras ações, incentiva adolescentes e jovens a participarem da vida pública de suas respectivas comunidades, apontando a conscientização política como instrumento de transformação social.

assuntos

comece o dia bem informado: