Políticos repercutem entrevista exclusiva de Lula concedida na prisão

Opositores criticaram, por exemplo, a fala de Lula de que o país está sendo governado por um bando de malucos

Lula concedeu entrevista à Folha de São Paulo e El PaísLula concedeu entrevista à Folha de São Paulo e El País - Foto: Marlene Bergamo/Folhapress

A entrevista exclusiva concedida pelo ex-presidente Lula, nesta sexta-feira (26), aos jornais Folha de S.Paulo e El País foi alvo de comentários de políticos nas redes sociais que criticam e também apoiam o petista, preso desde abril de 2018.
  
Opositores criticaram, por exemplo, a fala de Lula de que o país está sendo governado por um bando de malucos. Criticam também a própria realização da entrevista, uma vez que Lula está preso.

O senador Major Olímpío, líder do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, chamou Lula de bandido e disse que governistas poderiam até ser internados, mas que jamais estariam presos como o petista. O senador classificou as falas de Lula como besteiras e disse que ele havia perdido a consciência.

Também do partido governista, a deputada federal Bia Kicis chamou Lula de psicopata. Ela aponta que Lula foi condenado pelo ex-juiz Sergio Moro, pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região e pelo Superior Tribunal de Justiça. Segundo ela, Lula se faz de perseguido político.

Leia também:
Sou agradecido a Mourão pelo gesto na morte do meu neto, diz Lula
Pelo menos não é um bando de cachaceiros, responde Bolsonaro a Lula


Já o MBL (Movimento Brasil Livre) disse que os jornais Folha de S.Paulo e El País "montaram um palanque para o maior bandido da história do Brasil falar falar o que ele quiser".

O ex-senador Magno Malta (PR-ES) também criticou a autorização concedida pelo Judiciário para que Lula fosse entrevistado. Para o senador, em nenhum lugar do mundo um sujeito preso é autorizado a dar entrevistas. A prática, porém, é comum internacionalmente.

Já no espectro político de apoio ao ex-presidente, a presidente do PT, Gleise Hoffmann, chamou Lula de estadista e enalteceu suas falas. Para ela, a força e firmeza de Lula ao falar justificam sua inelegibilidade na última candidatura à presidência, em 2018, ano em que ele foi preso.

Candidato pelo PT na última eleição, Fernando Haddad criticou a imprensa que, segundo ele, deu pouca cobertura à primeira entrevista de Lula na prisão. Haddad elogiou a força do ex-presidente.

O ex-deputado Jean Wyllys (PSOL) disse ainda que a entrevista causou impacto internacional. Para ele, isso permitiria inferir que a história reservaria um lugar menor ao "minúsculo juiz que o condenou injustamente".

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), também usou as redes sociais para elogiar a altivez de Lula e sua defesa à pátria. Ele destacou um trecho da entrevista em que o ex-presidente critica Jair Bolsonaro por bater continência à bandeira dos Estados Unidos e dizer que ama o país americano.

Veja também

PSOL pede que STF proíba Ministério da Saúde de distribuir cloroquina
Coronavírus

PSOL pede que STF proíba Ministério da Saúde de distribuir cloroquina

Maia marca audiência com embaixador da China para tentar resolver crise das vacinas
Política

Maia marca audiência com embaixador da China para tentar resolver crise das vacinas