Posse de Bolsonaro deve contar com aparelhos que bloqueiam celular e drones

Preocupação principal da equipe responsável pela segurança é o acionamento remoto de explosivos no caminho pelo qual passará o presidente eleito

Jair BolsonaroJair Bolsonaro - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), deve contar com aparelhos que bloqueiam o sinal de aparelhos de celular enquanto ele estiver em movimentação na Esplanada dos Ministérios.

Enquanto Bolsonaro estiver em ambiente externo, a previsão é que também sejam usados aparelhos capazes de evitar o uso de drones na área. O pedido foi feito pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) ao Exército, segundo apurou a reportagem.

A preocupação principal da equipe responsável pela segurança é o acionamento remoto de explosivos no caminho pelo qual passará o presidente eleito. Esses instrumentos geralmente são usados para proteção de autoridades, além de presídios.

Leia também:
Bolsonaro fará extraordinário governo, afirma Temer
Cirurgia de Bolsonaro é marcada para 28 de janeiro


De acordo com integrantes da área de segurança, o esquema não foi usado na posse da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Procurado pela reportagem, o futuro ministro do GSI, general Augusto Heleno, disse não ter informações sobre o esquema de segurança.

A previsão é que o atual chefe do GSI, general Sérgio Etchegoyen, conceda entrevista coletiva na próxima semana para explicar como funcionará a segurança no dia da posse.

A segurança de Bolsonaro foi reforçada depois de, durante a campanha, ele ter recebido uma facada durante ato de campanha em Juiz de Fora, em Minais Gerais.

Veja também

Direção da PF barra promoção de delegado de caso Salles para cargo de chefia
Polícia Federal

Direção da PF barra promoção de delegado de caso Salles para cargo de chefia

'É bem mais grave', diz deputado sobre relatos de irmão por pressão do governo pela Covaxin
Covaxin

'É bem mais grave', diz deputado sobre relatos de irmão por pressão do governo pela Covaxin