Prefeitura do Recife recua sobre aumento de taxa de limpeza urbana

Aportado no Legislativo municipal em caráter de urgência, o texto faz parte do pacote de 11 medidas encaminhadas pelo prefeito

Jarbas recebe os parabéns do deputado Felipe CarrerasJarbas recebe os parabéns do deputado Felipe Carreras - Foto: Divulgação

Um dia após solicitar o pedido de dispensa de prazo do projeto de Lei do Executivo 17/2016, que eleva o aumento da taxa de limpeza urbana, o prefeito Geraldo Julio (PSB) recuou momentaneamente da proposição. Polêmico, o texto chegou a ser levado para votação na ordem do dia. No entanto, o líder do governo, Gilberto Alves (PSD), solicitou a retirada de pauta da proposta, sob a alegação que alguns pares solicitaram mais tempo para analisar o projeto.

“Houve uma reunião das comissões de Legislação e Justiça e Finanças e Orçamento com o secretário de Finanças, Ricardo Dantas, e o presidente da Emlurb, Roberto Gusmão para esclarecer o projeto. Mas alguns vereadores que queriam aprofundar o assunto não tiveram a oportunidade de ir para a reunião. Pediram mais um prazo para conhecer a proposta. Por isso, achei melhor retirar de pauta”, justificou Alves que, um dia antes, havia pedido a dispensa de prazo para dar celeridade à tramitação da matéria.

No plenário, o recuo do governo foi comemorado pela oposição. Líder do PSDB na Câmara, o vereador André Régis considerou sensata a decisão. “Este tributo, da forma que está tramitando na Casa, é um disparate após a eleição. O tema sequer foi abordado na propaganda eleitoral do candidato vitorioso”, pontuou.

Aportado no Legislativo municipal em caráter de urgência, o texto faz parte do pacote de 11 medidas encaminhadas na última semana pelo prefeito. Pela proposta, o governo prevê a modificação dos valores atuais do lixo criando a Taxa de Coleta, Remoção e Destinação de Resíduos Sólidos Domiciliares (TRSD). O valor será inserido mensalmente no IPTU e variará pelo metro quadrado do imóvel. A estimativa de elevação da taxa está calculada entre R$ 1,19 a R$ 8,85, atingindo 412 mil recifenses, o que daria uma folga nos cofres públicos.

Na base aliada, o intuito é aprovar o texto o quanto antes, para a cobrança começar a vigorar em março de 2017. Para a oposição, no entanto, a medida irá prejudicar ainda mais a população, que sofre os efeitos da grave crise econômica.

Veja também

Geraldo Pinho Alves Filho quer trazer linha de metrô para Paulista
Eleições 2020

Geraldo Pinho Alves Filho quer trazer linha de metrô para Paulista

Em Casa Amarela, João manda recado e diz que não se resolve problemas da cidade no grito
Eleições 2020

Em Casa Amarela, João manda recado e diz que não se resolve problemas da cidade no grito