Câmara federal

Presidente contraria Maia

Maia havia negociado a condução de Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) para o lugar de Moura em troca de apoio para sua reeleição, em fevereiro, e fez chegar a Temer que a manutenção do atual líder não o agradaria

 

O presidente Michel Temer decidiu contrariar o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e manter o deputado André Moura (PSC-SE) na liderança do governo na Casa. Com a medida, que já vinha sendo discutida nos bastidores desde a semana passada, Temer pretende fazer um aceno ao chamado centrão, grupo articulado pelo ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e permitir que esses deputados tenham interlocução com o governo sem a intermediação de Maia.
Maia havia negociado a condução de Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) para o lugar de Moura em troca de apoio para sua reeleição, em fevereiro, e fez chegar a Temer que a manutenção do atual líder não o agradaria. Segundo auxiliares do presidente, porém, o peemedebista quer mostrar que Maia “não pode tudo” e que é preciso reorganizar a base, rachada desde a eleição para a presidência.
Na avaliação desses assessores, os aliados do presidente da Câmara já foram contemplados com a eleição para a chefia da Casa e, agora, é preciso acenar para o outro grupo, o centrão, e tentar pacificar o racha da base. Pelo menos por enquanto, Temer também desistiu de recriar o posto de líder da maioria na Câmara, medida que poderia contemplar o PMDB com um cargo na articulação política.
A proposta havia ganhado força depois que os peemedebistas ficaram insatisfeitos com a nomeação de um tucano, o deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA), para a Secretaria de Governo, que antes era chefiada por Geddel Vieira Lima (PMDB). Agora, Temer tentará aplacar o descontentamento dos deputados do PMDB com outras medidas. Eles reivindicam cargos no Ministério das Cidades, como secretarias e diretorias, sob o comando de Bruno Araújo (PSDB).

 

Veja também

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma de fogo no aeroporto
Política

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda
Mundo

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda