Procuradoria denuncia 443 ex-deputados por 'farra das passagens', diz site

Denúncia atinge vários nomes da política, como um atual secretário do Governo Federal, prefeito e ex-governardor

O pernambucano Bruno Araújo entregou o seu cargo no ministério das CidadesO pernambucano Bruno Araújo entregou o seu cargo no ministério das Cidades - Foto: George Gianni/Divulgação

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou na última sexta-feira (28) 443 ex-deputados federais que tiveram o nome envolvido no escândalo conhecido como a "farra das passagens aéreas", informou na noite esta quarta-feira (2) o site Congresso em Foco.

A reportagem não conseguiu na noite desta quarta contato com a Procuradoria da República da 1ª Região para confirmar a informação.

Segundo o site, a iniciativa da Procuradoria foi tomada sete anos após ser revelado que parlamentares usavam verba de passagem para custear passagens particulares deles, de parentes e outras pessoas.

A denúncia atinge o hoje secretário do Programa de Parcerias de Investimentos do governo, Moreira Franco (PMDB), o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT).

O crime atribuído, ainda de acordo com o site, é o de peculato. Eles só se tornarão réus, entretanto, caso a Justiça acolha a denúncia.

Na época, o argumento dos congressistas foi o de que não havia, entre as normas que regulavam o uso da cota, uma vedação explícita à prática.

Ciro disse à reportagem que a acusação "é uma mentira, cabalmente esclarecida à época", quando a TAM disse que errou na cobrança. Moreira negou uso indevido de verba. ACM Neto não respondeu.

Veja também

Falece Luciano Albuquerque, pai do deputado Fernando Monteiro
Luto

Falece Luciano Albuquerque, pai do deputado Fernando Monteiro

Mendonça Filho testa positivo para a Covid-19
Política

Mendonça Filho testa positivo para a Covid-19