Projeto de lei que recupera pente-fino no INSS deve ser votado esta semana

Segundo Maia, foi a Câmara quem pediu para o governo enviar um texto com urgência constitucional

Evento das oposições no Coliseu Hall, em PetrolinaEvento das oposições no Coliseu Hall, em Petrolina - Foto: Daniel Leite/Blog da Folha

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quer votar ainda esta semana o projeto de lei - enviado pelo governo - que retoma as regras de revisão de auxílio doença e aposentadoria por invalidez, criadas pela Medida Provisória 739/16, que perdeu validade na última sexta-feira (5). Segundo Maia, foi a Câmara quem pediu para o governo enviar um texto com urgência constitucional para que o pente-fino tivesse continuidade.

Governo pode economizar R$ 8 bilhões em 2017

“É fundamental para o país porque gera, para o próximo ano, uma economia de R$ 8 bilhões. Precisamos votar”, explicou. Sem sessões na semana passada, o texto da MP editado em julho acabou caducando. Pelas regras legislativas, não é possível editar nova medida provisória com o mesmo teor e, para que as mudanças tivessem continuidade, só seria possível com a inclusão da proposta em um projeto de lei.

Maia deve fazer um apelo na reunião do Colégio de Líderes agendada para esta terça-feira (8) para que a urgência seja votada em plenário ainda na terça-feira. “Na quarta-feira estaria pronto para votar. Votamos na quarta ou quinta-feira”, acrescentou.

Além da urgência constitucional, o presidente da Câmara espera que deputados também consigam concluir na sessão de terça-feira (8) a votação de destaques ao projeto de lei (PL 4567/16), que altera o regime de partilha do pré-sal e o substitutivo à medida provisória (MP 742/16), que flexibiliza o horário de veiculação do programa A Voz do Brasil, da Empresa Brasil de Comunicação - EBC.

Veja também

Auxiliares de Bolsonaro veem vitória de Biden como fim do alicerce da política externa do Brasil
Política

Auxiliares de Bolsonaro veem vitória de Biden como fim do alicerce da política externa do Brasil

PT desiste da candidatura em Afogados e busca novos caminhos
Carlos Britto

PT desiste da candidatura em Afogados e busca novos caminhos