Projeto que obriga agressor a ressarcir SUS é aprovado na Câmara

O texto prevê que os bens da vítima de violência doméstica não podem ser usados pelo agressor para o pagamento dos custos

Câmara dos Deputados Câmara dos Deputados  - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O projeto de lei que responsabiliza o agressor de violência doméstica ressarcir o Sistema Único de Saúde (SUS) pelos custos médicos e hospitalares de atendimento à vítima foi aprovado no fim da noite dessa terça-feira (20) pelo plenário da Câmara dos Deputados.

O texto havia sido aprovado pela Câmara, mas sofreu alterações durante a votação no Senado. Por isso, teve que voltar para nova apreciação dos deputados, que rejeitaram as mudanças feitas pelos senadores. A matéria segue agora para sanção presidencial.

Leia também:
Agressor de Jefferson Cruz pode ser indiciado por tentativa de homicídio
Decreto estadual suspende posse ou porte de armas para agressores de mulheres
Agressor de violência doméstica terá de ressarcir SUS


Umas das emendas rejeitadas previa que o ressarcimento ao SUS só ocorreria após o processo transitar em julgado na instância criminal. A relatora, deputada Rose Modesto (PSDB-MS), entendeu que isso causaria uma demora grande entre o fato e o ressarcimento.

Nos casos como os de uso do abrigo pelas vítimas e de dispositivos de monitoramento, os custos serão também ressarcidos pelo agressor. O texto prevê ainda que os bens da vítima de violência doméstica não podem ser usados pelo agressor para o pagamento dos custos e nem como atenuante de pena ou comutação, de restrição de liberdade para pecuniária.

Veja também

TSE busca parcerias para desenvolver sistema de votação pelo celular
eleições

TSE busca parcerias para desenvolver sistema de votação pelo celular

Observatório do Clima denuncia informações falsas no discurso de Bolsonaro na ONU
Meio Ambiente

Observatório do Clima denuncia informações falsas no discurso de Bolsonaro na ONU