Prova de fogo antes da eleição para presidência

Fernando Filho e Bruno Araújo reassumem nesta terça-feira

Temporada (2019)Temporada (2019) - Foto: Divulgação

A eleição para presidência a Câmara Federal, no início de 2017, tem sido considerada, por deputados, a mais importante dos próximos dois anos por uma razão: é tida como uma disputa para vice-presidente da República, uma vez que o mandatário da Casa, que for eleito, assumirá o Planalto, caso Michel Temer se ausente. Tal perspectiva sinaliza para a seguinte constatação: no próximo ano, seria muito mais difícil aprovar a PEC 241.

Membros da base contabilizam que, por enquanto, o presidente tem maioria e ainda conta com a sensibilidade dos parlamentares. Em fevereiro, a insatisfação das bancadas corre o risco de aflorar. Dos três ministros exonerados ontem, para votar a favor da PEC, dois deles foram de Pernambuco. O retorno de Bruno Araújo e Fernando Bezerra Coelho Filho à Câmara Federal evitou que dois suplentes votassem contra a matéria. Deixaram de votar: Severino Ninho e Creuza Pereira, ambos são do PSB, do governador Paulo Câmara.

Em Pernambuco, a sigla posicionou-se contra a proposta. De Pernambuco, votaram contra a PEC quatro socialistas: Tadeu Alencar, Danilo Cabral, João Fernando Coutinho e Gonzaga Patriota. Marinaldo Rosendo e Fernando Filho foram a favor, na contramão da postura do governador. Luciana Santos (PCdoB) e Wolney Queiroz (PDT) também foram contra. Os outros 19 da bancada votaram a favor. A PEC 241 é o primeiro passo de uma reformulação maior, na qual está prevista a reforma da previdência, como meio de promover o equilíbrio fiscal. Foi a primeira prova de fogo do governo Temer, ultrapassada, em 1° turno, por 366 votos a favor, 111 contra e duas abstenções. Foram 58 votos a mais do que o mínimo necessário.

Fernando Filho e Bruno Araújo reassumem nesta terça.
O que tem para hoje

Deputado que empenhou-se na articulação, relativa à PEC 241, Eduardo da Fonte observa que a medida é a forma “de baixar o juros, de o mercado entender que o País está em novo momento, que o governo tem maioria para o País sair dessa crise”. E exclama: “Se não é o ideal, é o que temos para o momento”.

Preparando... > Ainda disputando a Prefeitura de Jaboatão, o deputado federal Anderson Ferreira seguiu, ontem, para Brasília. Votou a favor da PEC 241 e, hoje, tem audiência com o ministro dos Transportes, Maurício Quintella.
...terreno > Vai pautar a obra de duas alças viárias na BR-101, em frente ao Fórum de Jaboatão. Propõe a inclusão das alças no projeto de revitalização da via.
Fico > Ainda que o presidente estadual do PDT, Wolney Queiroz, tenha assegurado o apoio da sigla ao prefeiturável Antônio Campos, em Olinda, o deputado federal Cadoca mantém a posição e seguirá apoiando o candidato do Solidariedade, Professor Lupércio.
Compreensão 1 > Vice-governador do Estado, Raul Henry diz ter estranhado o duro tom adotado pelo prefeito eleito do Cabo, Lula Cabral, contra ele, em entrevista recente à Rádio Folha. “No ano passado, assumi a presidência do partido, com a missão de fortalecê-lo na eleição municipal. Conseguimos lançar 42 candidatos a prefeito e 36 a vice ”, observa o peemedebista.
Compreensão 2 > Henry prossegue: “A coisa mais natural do mundo era que eu apoiasse os candidatos do meu partido. Isso ficou muito bem compreendido no governo e no âmbito da Frente Popular. Tanto que eu estranhei as declarações de Lula Cabral em relação a mim”.
Compreensão 3 > E conclui: “Porque, no Cabo, o PMDB compôs a chapa de Betinho Gomes, indicando José Arnaldo para a vice. Agora, não é verdade que eu tenha esculhambado Lula Cabral. Eu não faço política desse jeito. Não é meu estilo. Eu espero que, com o passar do tempo, depois que os ânimos se tranquilizem, ele compreenda meu papel”.

 

Veja também

Relatório do impechment de Witzel é entregue ao Tribunal Misto
Brasil

Relatório do impechment de Witzel é entregue ao Tribunal Misto

Bolsonaro pede voto para Russomanno em São Paulo e dá apoio constrangido a Crivella no Rio
POLÍTICA

Bolsonaro pede voto para Russomanno em São Paulo e dá apoio constrangido a Crivella no Rio