A-A+

PSB tem simpatia pela PEC da 2ª instância. PT vê casuísmo

"Fechar questão nem pensar",diz Tadeu Alencar, líder da sigla

Dep. Tadeu Alencar (PSB-PE)/Cleia Viana/Câmara dos DeputadosDep. Tadeu Alencar (PSB-PE)/Cleia Viana/Câmara dos Deputados - Foto: divulgacao

O tema ainda não foi à pauta na bancada, que cuidou de debater, primeiro, o pacote anticrime, aprovado na noite de ontem na Câmara Federal, com apenas nove votos contrários. Mas o líder do PSB, Tadeu Alencar, à coluna, informa que o PSB tem "uma simpatia" pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 199/19, que tramita na Câmara e cuja comissão especial foi instalada ontem.

Trata-se da proposta que permite a prisão após condenação em segunda instância. Indagado se o partido fecharia questão, ele devolve de imediato: "Fechar questão nem pensar". Socialistas, inicialmente, numa linha similar ao PT, chegaram a acenar contra a possibilidade de aprovação da matéria, mas após as propostas que alteravam o Artigo 5º da Constituição serem descartadas, a sigla, agora, tende a orientar os membros da bancada a votarem favorável. "O PSB tinha muita dificuldade com a alteração do artigo 5º da Constituição, por ser cláusula pétrea, onde estão depositados garantias e direitos individuais", pondera Tadeu Alencar. Agora, segundo ele, há uma simpatia pela tese em debate, mas a discussão, complementa o deputado, ainda precisa ser aprofundada.

Na CCJ, PT, PSOL, PC do B e Pros votaram contra o texto. Os petistas, que integram o bloco de esquerda com o qual o PSB vem atuando alinhado já apontaram "casuísmo" da proposta diante da decisão do Supremo Tribunal Federal, que garantiu a libertação do ex-presidente Lula. A orientação do PSB em relação à segunda instância pode se consolidar como mais um ponto de distanciamento em meio a um contexto em que o presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira, já externou incômodo com declarações do ex-presidente Lula. Em entrevista ao jornal O Globo, Siqueira já avisou: "Não vamos aderir a quem não quer apoiar ninguém, com todo o respeito ao PT". Siqueira ainda batera: "entre PT e Brasil, o PT sempre escolhe a si mesmo".

Maomé vai...
A ida do governador Paulo Câmara à liderança do PSD, ontem, em Brasília, foi resultado de consulta feita há cerca de duas semanas pelo socialista ao líder do PSD, André de Paula, sobre uma eventual visita. O momento ideal acabou sendo ontem. Na Câmara, Paulo esteve não só com André, mas com mais de 15 deputados do PSD.
...à montanha > André de Paula tem o nome colocado no páreo para a corrida majoritária de 2020 no Recife e, à coluna, declarou, há cerca de uma semana, o seguinte: "Não quero ser um prefeito, mas o prefeito". Tem apoio do partido nacionalmente, caso decida concorrer, mas ainda é da base do governador, que, ontem, cuidou de fazer um gesto ao aliado.
Nordestinos > Entre os nomes do PSD presentes no encontro, estavam o relator do Orçamento, Domingos Neto (PSD-CE), e o senador Otto Alencar, que foi o representante do PSD na comissão que analisou a proposta do novo marco do saneamento. Otto é aliado do governador Rui Costa, na Bahia.
Quadro negro > A Comissão Externa de acompanhamento do Ministério da Educação ( MEC ) na Câmara Federal apresentou relatório, ontem, que contém 53 recomendações ao Poder Executivo. Vice-coordenador, o deputado federal João Campos trabalhou em cima de três eixos: autonomia universitária, análise do Future-se e do financiamento de pesquisas no Brasil.
Recorte > A importância do Consórcio Nordeste para a região é o tema de palestra que será realizada, hoje, por Sérgio Rezende, ex- secretário de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente do governo Miguel Arraes, ex-ministro de Ciência e Tecnologia do governo Lula e professor da UFPE. Será às 20h30, no Instituto Miguel Arraes.

Veja também

'PEC do Pazuello' está parada na Câmara há três meses e não entrará em vigor para 2022
Câmara Federal

'PEC do Pazuello' está parada e não entrará em vigor para 2022

STF julga limites da Justiça Militar e pode criar novo embate com Forças Armadas
Judiciário

STF julga limites da Justiça Militar e pode criar novo embate com Forças Armadas