Briga jurídica

PSB vai processar Marília Arraes

Vereadora reclama que o seu antigo partido quer persegui-la por "crime de opinião"

Vereadora, hoje no?PT, diz ser alvo de “crime de opinião”Vereadora, hoje no?PT, diz ser alvo de “crime de opinião” - Foto: Raquel Melo /Arquivo Folha

 

A conturbada saída da vereadora Marília Arraes (PT) do PSB continua gerando farpas entre a legisladora e seu antigo partido. Dessa vez, o tensionamento chegará a Justiça, com a decisão da direção estadual da sigla de processá-la por críticas feitas em entrevista a uma rádio, no Sertão. Ela reclama que o seu antigo partido quer persegui-la por "crime de opinião".

No último fim de semana, Marília acusou o PSB de ser "o epicentro da corrupção em Pernambuco". Ontem, a direção socialista enviou nota classificando as declarações da ex-filiada como "rancorosas" e "inverídicas". "A direção estadual do Partido Socialista Brasileiro decidiu acionar o departamento jurídico da legenda para que sejam tomadas medidas judiciais cabíveis contra as acusações infundadas que Marília Arraes faz ao partido", resumiu a nota.

Procurada pela reportagem, a legisladora classificou como autoritária a postura do partido. "Isso confirma o que venho dizendo faz tempo, que o PSB instalou uma ditadura no Estado. Querer processar uma parlamentar por crime de opinião. Não foi a primeira vez que expressei essa opinião sobre o partido, eles tinham adotado uma postura de me ignorar e substimar, mas eles devem ter se incomodado comigo", afirmou Marília Arraes. A vereadora ainda rebateu a ofensiva, em seu perfil no Facebook, onde compartilhou links de matérias com denúncias contra seu antigo partido.

 

Veja também

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma de fogo no aeroporto
Política

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda
Mundo

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda