PSDB quer Bruno para majoritária em 2018

Principais lideranças do partido defendem que PSDB lance candidatura. Decisão está em consonância com orientação da executiva nacional

Tucanos defendem que ministro das Cidades concorra ao Palácio do Campo das PrincesasTucanos defendem que ministro das Cidades concorra ao Palácio do Campo das Princesas - Foto: José Cruz/Agência Brasil

Em busca de protagonismo no cenário estadual, o PSDB de Pernambuco fortalece a estrutura orgânica da legenda, enquanto alça o ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), como aposta prioritária da agremiação para 2018. Tanto que o nome do auxiliar ministerial chegou a ser defendido como opção para disputar o Governo do Estado e já é visto como consenso para assumir o comando pernambucano da sigla, nas convenções de novembro.

O martelo somente será batido sobre o projeto da sigla tucana para as eleições de 2018 após a etapa de reestruturação partidária. No entanto, as principais lideranças da legenda já defendem abertamente que o partido se coloque como opção para o próximo pleito.

Leia também:
Bruno defende Betinho em episódio que une PSDB-PE
Líder do PSDB pede revogação do decreto que extingue a Reserva de Cobre


"Qualquer partido só cresce se tiver candidatura majoritária. Com ela, a sigla aumenta o número de deputados estaduais, federais e fortalece seu projeto nacional. É essencial fortalecer o partido neste momento. O nome de Bruno foi lembrado por lideranças do partido, mas vamos aguardar passar a etapa de estruturação", afirmou o presidente do PSDB -PE, Antônio Moraes.

Durante convenção em Gravatá, no último domingo, o prefeito Joaquim Neto defendeu abertamente o nome de Bruno Araújo para disputar o Palácio do Campo das Princesas. "PSDB tem o melhor nome para disputar a eleição ao governo do Estado que é o ministro Bruno Araújo. Não há melhor nome para ser governador do Estado", afirmou.

A defesa de um projeto próprio do PSDB coloca mais lenha no cenário plural de projetos da oposição que incluem as ambições dos senadores Fernando Bezerra Coelho (PMDB) e Armando Monteiro Neto e do ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM). Além de Araújo, outros políticos são vistos como opção para uma disputa majoritária, como o ex-prefeito Elias Gomes e o ex-governador João Lyra Neto, este último como opção forte para o Senado. "Temos quadros qualificados tanto para o Senado quanto para o Governo e queremos um protagonismo maior", afirmou o prefeito do PSDB de Recife, Durval Lins.

Reoxigenação
O processo de estruturação partidária é uma orientação da direção nacional para reoxigenar a sigla. Em Pernambuco, o comando dos municípios das principais cidades administradas pelo PSDB foi dado para os prefeitos da sigla. Foi o caso de Caruaru, principal cidade administrada pela sigla, cujo o comando foi dado a prefeita Raquel Lyra (PSDB). A mesma lógica foi adotada em Santa Cruz do Capibaribe com o prefeito Edson Vieira. Já em Gravatá, Joaquim Neto reconduziu Maria de Fátima Felix.

A legenda também retirou o comando municipal do partido das mãos de lideranças que não estavam comprometidas com candidaturas do PSDB nas eleições do ano que vem. "Estamos revendo os municípios que não votam com ninguém do partido. O PSDB é um partido muito grande para servir de legenda de aluguel. Temos que dar prioridade para os candidatos do partido", ponderou Moraes.

Veja também

De volta à prefeitura de Belém, Gustavo Caribé esbanja disposição
Carlos Britto

De volta à prefeitura de Belém, Gustavo Caribé esbanja disposição

Marília Arraes defende unidade oposicionista em 2022
Edmar Lyra

Marília Arraes defende unidade oposicionista em 2022